Brasil

Veja os bastidores do primeiro debate entre os presidenciáveis

Foi o primeiro debate entre presidenciáveis da TV Bandeirantes sem a presença de um candidato do PT desde a redemocratização

Debate: muitos políticos tiveram que ir embora, já que os oito candidatos tiveram apenas sete convites para distribuir entre aliados (Kelly Fuzaro/Band/Divulgação)

Debate: muitos políticos tiveram que ir embora, já que os oito candidatos tiveram apenas sete convites para distribuir entre aliados (Kelly Fuzaro/Band/Divulgação)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 10 de agosto de 2018 às 01h17.

Última atualização em 10 de agosto de 2018 às 10h29.

No primeiro debate entre os presidenciáveis da TV Bandeirantes sem a presença de um candidato do PT desde a redemocratização, não houve uma polarização de provocações nos bastidores como nas edições anteriores.

Os únicos petistas presentes na plateia foram o tesoureiro do PT, Emídio Souza, e o advogado Marco Aurélio Carvalho. Quando chegaram ao estúdio, a dupla logo soube que não havia lugares reservados para a sigla e teve que buscar onde sentar perto dos jornalistas.

Acabaram indo embora no segundo bloco. Muitos políticos, aliás, tiveram que dar meia volta e ir embora, já que os oito candidatos tiveram apenas sete convites para distribuir entre aliados.

Fora do foco da câmera, Ciro Gomes (PDT) não escondia o incomodo por ser pouco acionado. Quando foi chamado pela primeira vez, levantou às mãos para o alto em agradecimento.

Jair Bolsonaro demonstrou nervosismo no começo do programa e virou um copo de água inteiro quando foi interpelado por Guilherme Boulos (PSOL). No primeiro bloco, ele ficou sentado durante todo o tempo para, segundo um auxiliar, demonstrar moderação.

O General Augusto Heleno, que quase foi vice de Bolsonaro, disse a jornalistas que ajudou no "mídia training" do candidato e o aconselhou a ter moderação. No intervalo, porém, a estratégia mudou. O deputado do PSL foi aconselhado pelo senador Magno Malta a mudar o tom, e seguiu a orientação.

No segundo bloco, Bolsonaro ficou de pé para parecer mais altivo. Seus apoiadores comentaram que se sentiram mais "confortáveis' com essa segunda versão. Mas ele não conseguia ficar parado e passou a se alongar.

O ex-ministro Henrique Meirelles (MDB) levou vários assessores para a TV Bandeirantes, mas sua gravata ficou torta durante quase todo o programa.

Já o stafe de Marina correu para levar um xale no primeiro bloco, pois ela estava reclamando do frio no estúdio.

Alckmin permaneceu impassível nos intervalos e parecia um pouco desconfortável com o banco.

Acompanhe tudo sobre:Ciro GomesDebates eleitoraisEleições 2018Henrique MeirellesJair BolsonaroMarina Silva

Mais de Brasil

Artefatos indígenas retidos na França retornam ao Brasil

Convenções começam neste sábado com oficialização de candidaturas de Boulos, Paes e Fuad

Convenção para oficializar chapa Boulos-Marta em SP terá Lula e 7 ministros do governo

Convenção do PRTB e disputas judiciais podem barrar Pablo Marçal na disputa em SP; entenda

Mais na Exame