SP precisa reduzir consumo no curto prazo, diz secretário

Segundo Benedito Braga, também será necessário ampliar a utilização de água de reúso em indústrias e no agronegócio

São Paulo - O secretário de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Benedito Braga, afirmou nesta sexta-feira, 6, no curto prazo, é necessário haver "forte redução" no consumo de água na região metropolitana de São Paulo.

"As obras demandam tempo. Vamos ampliar as campanhas de informação", afirmou, em evento sobre a crise hídrica sediado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio).

Braga ainda ressaltou que a previsão de chuvas para a região não é boa. "A ordem é economizar, porque a perspectiva climática não é das melhores", acrescentou.

Segundo ele, também será necessário ampliar a utilização de água de reúso em indústrias e no agronegócio. "Vamos fazer um trabalho muito forte no sentido de impedir que irrigantes não outorgados façam uso de uma água que tem como prioridade de uso o consumo humano", disse. Conforme o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, antecipou na semana passada, o governo de São Paulo estuda rever as outorgas de captação de água das indústrias que captam diretamente dos mananciais, visando a estimular a água de reúso.

Braga ainda destacou medidas adotadas pela Sabesp para combater a crise, como a interligação de sistemas, obras emergenciais como os reforços para o Sistema Alto Tietê, o bônus para os clientes que reduzirem o consumo de água e a intensificação do combate às perdas.

Segundo ele, a Sabesp já investiu R$ 6 bilhões nessa iniciativa e reduziu as perdas de 40% para 30%. "Isso está dentro do que o mundo trabalha, não é um número ruim, mas vamos trabalhar no sentido de reduzir ainda mais essa perda", afirmou.

A presença do presidente da Sabesp, Jerson Kelman, era esperada no evento, mas ele não compareceu.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.