Brasil

Região metropolitana do Rio registra mais de 770 tiroteios em março

O balanço divulgado pela plataforma Fogo Cruzado aponta que os tiroteios no mês de março deixaram 126 feridos e 124 mortos

Rio de Janeiro: o balanço aponta um aumento de quase 17% no número de tiroteios em comparação com fevereiro (iStock/Thinkstock)

Rio de Janeiro: o balanço aponta um aumento de quase 17% no número de tiroteios em comparação com fevereiro (iStock/Thinkstock)

AB

Agência Brasil

Publicado em 1 de abril de 2019 às 10h40.

Última atualização em 1 de abril de 2019 às 10h42.

A região metropolitana do Rio de Janeiro registrou 772 tiroteios ou disparos de armas de fogo em março de 2019, de acordo com balanço divulgado pela Fogo Cruzado, plataforma digital colaborativa que mapeia o uso de armas de fogo em locais públicos. O número apresenta aumento de quase 17% na comparação com fevereiro, que teve 662 registros.

Com relação ao número de vítimas de tiroteios na região, o mês de março teve 126 feridos e 124 mortos. Em fevereiro, foram registradas 145 mortes por disparos de arma de fogo, além de 116 feridos.

O número de vítimas de balas perdidas se manteve praticamente estável na Região Metropolitana do Rio de Janeiro na passagem de fevereiro para março. No mês passado, foram registrados 17 casos com cinco mortes, enquanto em fevereiro 18 pessoas foram atingidas por balas perdidas e também cinco morreram.

O município com mais ocorrências de disparos de arma de fogo em março foi a capital, com 484 casos. Na sequência, aparecem Belford Roxo, na Baixada Fluminense, com 66 ocorrências, e São Gonçalo, na região metropolitana, com 65.

A área com mais registros foi a Praça Seca, na zona oeste do Rio. O bairro, que vive uma rotina de confrontos entre quadrilhas de traficantes e milicianos que atuam na região, teve 46 tiroteios no mesmo período. Em seguida aparecem o Complexo do Alemão, na zona norte, com 31 registros, e a Vila Kennedy, na zona oeste, com 28.

Acompanhe tudo sobre:MortesRio de JaneiroTiroteios

Mais de Brasil

Casas de apostas terão que comunicar operações suspeitas ao Coaf e classificar risco de apostadores

Lula assina decreto reajustando Bolsa Atleta em 10,86%

Base Aérea de Canoas funcionará 24 horas por dia

Mais na Exame