Prazo para pagar a taxa de inscrição do Enem 2022 termina nesta sexta

Os inscritos podem debitar o valor de R$ 85 via boleto, cartão de crédito ou Pix - estas duas últimas modalidades de pagamento estão sendo ofertadas pela primeira vez
 (Agência Brasil/Agência Brasil)
(Agência Brasil/Agência Brasil)
Por Da redação, com agênciasPublicado em 27/05/2022 09:50 | Última atualização em 27/05/2022 09:50Tempo de Leitura: 6 min de leitura

Termina nesta sexta-feira, 27, o prazo para efetuar o pagamento da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2022. Os inscritos podem debitar o valor de R$ 85 via boleto, cartão de crédito ou Pix - estas duas últimas modalidades de pagamento estão sendo ofertadas pela primeira vez. O custo é obrigatório para os estudantes que tiveram a isenção da taxa negada.

Para liquidar a cobrança, é preciso acessar a Página do Participante. Após logar, basta clicar na aba "Pagamentos/Isenção", disponível na página inicial. Nesta etapa, é possível escolher o método de pagamento.

LEIA TAMBÉM: Enem 2022: até quando vai inscrição, datas e informações sobre a prova

Na opção boleto, o inscrito pode realizar o pagamento em qualquer casa lotérica, banco ou por aplicativo banking. Para aqueles que escolheram Pix, devem pagar por QR code ou código gerado automaticamente pela própria página. Já para a opção cartão de crédito, é necessário seguir as orientações indicadas na página, que ofertam pagamento via Mercado Livre ou PicPay.

Outro prazo que está prestes a ser encerrado é o pedido de tratamento pelo nome social. A pessoa inscrita que deseja ser identificada pela sua identidade de gênero - e que possui o cadastro do nome modificado na Receita Federal - tem até sábado, 28, para confirmar a solicitação na Página do Participante.

Quando acontece o Enem 2022?

As provas são realizadas nos dias 13 e 20 de novembro. A aplicação dos testes impressos e digital seguem o horário de Brasília. A abertura dos portões é às 12h, e o fechamento às 13h. O início das provas é às 13h30. No primeiro dia de Enem, o término das provas é às 19h. No segundo dia de testes, às 18h30.

O exame é constituído de quatro provas objetivas e uma redação em língua portuguesa. Cada prova objetiva tem 45 questões de múltipla escolha.

No primeiro dia do exame, são aplicadas as provas de linguagens, códigos e redação (língua Portuguesa, literatura, língua estrangeira, artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação); e de ciências humanas e suas tecnologias (história, geografia, filosofia e sociologia).

A aplicação tem 5 horas e 30 minutos de duração, contadas a partir da autorização do chefe de sala para o início das provas.

No segundo dia do exame, são aplicadas as provas de ciências da natureza (química, física e biologia) e matemática e suas tecnologias. A aplicação tem 5 horas de duração, contadas a partir da autorização do chefe de sala para o início das provas.

Os gabaritos das provas objetivas são divulgados no Portal do Inep, até o terceiro dia útil após o último dia de aplicação.

O que cai no Enem?

O Enem tem quatro provas objetivas de 45 questões cada, além da redação. Cada prova vale 1.000 pontos. As questões contêm somente alternativas, e não há perguntas dissertativas. Aqui está o edital da prova do Enem 2022.

Temas do 1º dia

  • Provas de linguagens e códigos (com 45 questões que envolvem língua Portuguesa, literatura, língua estrangeira, artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação) 
  • Prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias (com 45 questões de disciplinas como história, geografia, filosofia e sociologia)
  • Redação (texto dissertativo-argumentativo, com tema a ser definido)

Temas do 2º dia

  • Prova de Matemática e suas Tecnologias (com 45 questões de matemática)
  • Prova de Ciências da Natureza (com 45 questões de disciplinas como física, química e biologia)

Enem digital

Por conta da pandemia de covid-19, o governo federal adotou o formato do Enem Digital. A prova e os conteúdos são os mesmos do tradicional (somente a redação é feita em papel), a vantagem é que o modelo é feito por meio de um computador. A meta é informatizar todo o sistema nos próximos anos. A escolha deve ser feita unicamente no ato da inscrição e não é possível trocar de formato posteriormente.

No ato da inscrição, basta fazer a opção pelo modelo digital. As datas e horários são as mesmas do Enem tradicional. Como não é possível fazer a prova de casa ou com computador pessoal, o Inep disponibiliza mais de 101.100 vagas, que são preenchidas por ordem de inscrição, e nem todas as cidades brasileiras contam com o Enem digital. Para checar se a sua cidade tem a modalidade, basta conferir o edital.

Onde posso usar minha nota do Enem?

O Enem nasceu em 1998 para avaliar os conhecimentos do Ensino Médio, mas foi ampliado nos anos 2000 para se tornar uma porta de ingresso ao Ensino Superior.

Atualmente, além da possibilidade de obter um certificado de conclusão do Ensino Médio, a pontuação do Enem dá acesso a programas em universidades públicas e particulares. Estão entre os principais sistemas que usam o Enem:

  • Sisu (Sistema de Seleção Unificada): o Sisu é a única forma de ingresso na maioria das universidades federais, isto é, geridas pelo Executivo federal, como a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), além de algumas universidades estaduais que destinam parte das vagas ao Sisu.
  • Prouni (Programa Universidade para Todos): oferece bolsas em universidades privadas para alunos que cursaram o Ensino Médio em escolas públicas ou particulares com bolsa integral. A depender da nota no Enem e da renda, o aluno pode pleitear uma bolsa parcial (50% da mensalidade, para alunos com renda familiar de 3 salários mínimos por pessoa) ou integral (100% da mensalidade, com renda familiar de até 1,5 salário mínimo por pessoa). O aluno não tem de reembolsar o valor ao final do curso.
  • Fies (Programa de Financiamento Estudantil): oferece financiamento subsidiado de mensalidades em universidades privadas. Ao contrário do Prouni, o Fies não é uma bolsa, mas um empréstimo, que o aluno precisa pagar ao final do curso. O tipo de financiamento obtido e a taxa de juros variam a depender da renda do candidato (veja aqui).
  • Vestibulares próprios das universidades: todos os anos, uma série de faculdades e universidades privadas oferecem vagas em cursos diversos tendo como base a nota do Enem, dispensando a necessidade de o aluno realizar o vestibular próprio da instituição. Algumas também oferecem bolsa aos melhores colocados. A oferta fica a critério das próprias instituições.

É possível entrar na USP pelo Enem?

Nos últimos anos, as três universidades estaduais paulistas — USP, Unesp e Unicamp — passaram a destinar parte de suas vagas ao Sisu.

Assim, alunos inscritos no Sisu podem pleitear as vagas oferecidas por essas universidades a depender de sua pontuação no Enem. Também via Sisu, as universidades oferecem um sistema de cotas para alunos PPI (pretos, pardos e indígenas) e que cursaram Ensino médio em escolas públicas.

Além do Sisu, as três universidades estaduais paulistas possuem, ainda, um exame vestibular próprio, realizado por fundações específicas: a Fuvest (USP), Vunesp (Unesp) e a Comvest (Unicamp). Esses exames são marcados separadamente e em dias definidos pelas próprias fundações, feitos de forma independente do Enem.

Um aluno que tenham realizado o Enem pode, separadamente, fazer as provas específicas para as universidades estaduais, obtendo assim diferentes chances de aprovação.

Com Estadão Conteúdo.