Por conta de protestos, lojas fecham as portas em Sorocaba

A greve geral afetou também os bancos - a maioria das agências não abriu às 10 horas, início do atendimento ao público

Sorocaba - Manifestantes obrigaram donos e gerentes de lojas a baixarem as portas, nesta sexta-feira, 28, na região central de Sorocaba.

Sindicalistas e estudantes se concentravam na Praça Fernando Prestes, como parte da greve geral em protesto contra as medidas do governo Temer.

A dona de uma loja de celulares, Lara Vieira de Melo, protestou e enfrentou os manifestantes, alegando o direito de trabalhar. Houve tensão e a Polícia Militar interveio para evitar agressões. A loja acabou baixando a porta.

À medida que o grupo caminhava pela região central, com faixas e bandeiras, as lojas que estavam abertas eram fechadas.

Bancos

A greve geral afetou também os bancos - a maioria das agências não abriu às 10 horas, início do atendimento ao público.

Saúde

O atendimento na rede municipal de saúde foi mantido, apesar do movimento baixo por conta da greve dos ônibus.

De acordo com a prefeitura, as 32 unidades básicas e os pronto-atendimentos estavam com as equipes trabalhando.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.