Live icon 

Acompanhe ao vivo:  

Apuração das eleições 2022 em tempo real! Veja agora.

Pesquisa governo da Bahia: ACM Neto tem 51%, Jerônimo, 18%, e Roma, 13%, no primeiro turno

Para a pesquisa EXAME/IDEIA, foram ouvidas 1.000 pessoas do estado da Bahia entre os dias 1º e 6 de julho
Jerônimo, Roma e ACM Neto: ex-prefeito de Salvador tem favoritismo. (Divulgação/Divulgação)
Jerônimo, Roma e ACM Neto: ex-prefeito de Salvador tem favoritismo. (Divulgação/Divulgação)
G
Gilson Garrett Jr

Publicado em 07/07/2022 às 14:23.

Última atualização em 07/07/2022 às 14:23.

A disputa pelo governo da Bahia pode trazer de volta ao poder um sobrenome que comandou o estado por quase quatro décadas e acabar com os 16 anos em que o PT está à frente do Palácio Ondina. De acordo com a pesquisa eleitoral EXAME/IDEIA, divulgada nesta quinta-feira, 7, ACM Neto (União Brasil) tem 51% das intenções de voto no primeiro turno.

Atrás dele está o ex-secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues (PT), com 18%, e João Roma (PL) tem 13%. Kleber Rosa, do PSOL, tem 2%. Os números são de uma pergunta estimulada, quando o eleitor escolhe um nome a partir de uma pré-lista.

Para a pesquisa, foram ouvidas 1.000 pessoas do estado da Bahia entre os dias 1º e 6 de julho. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BA-00648/2022. A EXAME/IDEIA é um projeto que une EXAME e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. Leia o relatório completo.

(Arte/Exame)

Cila Schulman, vice-presidente do instituto de pesquisa IDEIA, explica que é muito provável que o movimento chamado Carlismo volte ao poder na Bahia. Essa escolha representa uma ruptura dos eleitores baianos, que há 16 anos elegem governadores petistas.

“A provável volta do Carlismo, que dominou a política do estado por quatro décadas, com pequenos intervalos, por meio da liderança do senador Antônio Carlos Magalhães,  é agora representada por seu neto. Embora o governo de Rui Costa (PT) seja bem avaliado, com 44% de ótimo e bom, o eleitor não encontrou no seu sucessor Jerônimo Rodrigues, também do PT, uma opção”, afirma.

VEJA TAMBÉMPesquisa governo de SP: Haddad tem 27%; Tarcísio, 17%; França, 14%; e Garcia, 11%

Em uma pergunta espontânea, quando o entrevistado precisa dizer o primeiro nome que está na cabeça, ACM Neto tem 26%, Jerônimo aparece com 11%, Roma tem 9%. O atual governador, Rui Costa, que não pode se candidatar por já estar no segundo mandato, foi mencionado por 2% dos eleitores.

(Arte/Exame)

Segundo turno: ACM Neto lidera cenários

EXAME/IDEIA ainda fez a simulação de três cenários de segundo turno. Nos dois em que ACM Neto está, ele vence o adversário por larga margem, sendo a maior na disputa com Roma (61% a 14%). A pesquisa ainda testou um segundo turno entre Jerônimo e Roma, com vitória do ex-secretário baiano.

(Arte/Exame)

Briga pelo Senado está aberta

Com 79% dos eleitores dizendo que ainda não sabem em quem votar para a vaga de senador pela Bahia, o cenário ainda está aberto. O número é de uma pergunta espontânea e ajuda a medir como está o pensamento do eleitor sobre o pleito. Neste formato de pergunta, nenhum nome passa dos 6% de intenção de voto.

(Arte/Exame)

Já em um cenário estimulado, os que não sabem caem para 30%. O candidato à reeleição, senador Otto Alencar (PSD) tem 22%, Cacá Leão (PP) aparece com 13%, e Raíssa Soares (PL), 11%.

(Arte/Exame)

“A eleição ao Senado na Bahia ainda está muito aberta. Otto Alencar forma chapa com o PT, já Cacá Leão é da chapa de ACM Neto. Embolada com ele aparece a ex-secretária de Saúde de Porto Seguro, Raíssa Soares, do PL, partido do presidente Bolsonaro”, diz Cila Schulman, vice-presidente do instituto de pesquisa IDEIA.

VEJA TAMBÉM