Lula teme transição tumultuada em caso de vitória contra Bolsonaro

Bolsonaro disse, em várias ocasiões, que as urnas eletrônicas não são confiáveis e levantou a possibilidade de fraude, sem fornecer provas
Presidente entre 2003 e 2010, Lula comparou o clima político atual com o de 2002, quando venceu as eleições presidenciais ao derrotar José Serra, do PSDB (Buda/Getty Images)
Presidente entre 2003 e 2010, Lula comparou o clima político atual com o de 2002, quando venceu as eleições presidenciais ao derrotar José Serra, do PSDB (Buda/Getty Images)
A
AFPPublicado em 30/09/2022 às 17:55.

O candidato e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou, nesta sexta-feira, 30, que teme uma transição tumultuada, caso derrote Jair Bolsonaro na eleição de domingo.

Presidente entre 2003 e 2010, Lula comparou o clima político atual com o de 2002, quando venceu as eleições presidenciais ao derrotar José Serra, do PSDB.

"O pessoal do PSDB fazia política. Quando ganhava fazia festa e, quando perdia, permitia que quem ganhasse fizesse festa. Não é esse o comportamento do Bolsonaro. Ele pode tentar querer criar qualquer confusão na transição", disse Lula durante uma coletiva de imprensa no Rio de Janeiro.

Bolsonaro disse, em várias ocasiões, que as urnas eletrônicas não são confiáveis e levantou a possibilidade de fraude, sem fornecer provas. Alguns analistas temem que ele não reconheça uma eventual derrota.

Fique por dentro de tudo sobre as Eleições 2022 e os resultados das pesquisas eleitorais. Clique aqui e receba gratuitamente a newsletter EXAME Desperta.

"Os resultados das urnas serão respeitados desde que as eleições sejam limpas e transparentes", disse o presidente, durante a campanha.

Segundo pesquisa Datafolha divulgada na quinta-feira (29), Lula, de 76 anos, tem 48% das intenções de voto contra 34% de Bolsonaro.

Considerando-se apenas os votos válidos (sem brancos ou nulos), Lula reúne 50% dos apoios, percentual mínimo para obter uma vitória no primeiro turno.

"Do ponto de vista político, (a volta ao poder) é mais difícil do que em 2002 (...) contra um partido como o PSDB, que fez uma transição extraodinária, pacífica, e nós tivemos acesso a todas as informações do governo. Não acho que a gente terá a mesma facilidade com Bolsonaro", insistiu o líder do PT.

No penúltimo dia de campanha, Lula também participa de uma caminhada em Salvador e depois terá uma atividade em Fortaleza.

Bolsonaro liderou um desfile de motos em Poços de Caldas, em Minas Gerais.

LEIA TAMBÉM:

Pesquisa eleitoral: Lula está na frente em região com 42 milhões de eleitores

Pesquisa: Lula está na frente em uma região, Bolsonaro em duas, e há empate em duas