Jingles para presidente 2022: Lula e Bolsonaro apostam em piseiro e sertanejo

Os partidos têm apostado em ritmos populares e contam com o engajamento nas redes sociais para que as composições viralizem
 (SOPA Images/Andressa Anholete/Getty Images)
(SOPA Images/Andressa Anholete/Getty Images)
A
Alessandra Azevedo

Publicado em 27/07/2022 às 09:00.

Última atualização em 01/08/2022 às 12:57.

Os candidatos à Presidência da República começaram a divulgar os primeiros jingles das campanhas eleitorais deste ano. Os partidos têm apostado em ritmos populares do Brasil, como sertanejo e forró, e contam com o engajamento nas redes sociais para que as composições "viralizem".

As propagandas oficiais na televisão e no rádio só começam em 26 de agosto, segundo o calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Mas no Twitter, no Instagram e no TikTok, os jingles já são compartilhados pelos eleitores. As músicas também têm sido apresentadas em eventos partidários. 

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

Mirando no público mais jovem, a equipe de Lula divulgou um jingle adaptado ao formato do TikTok, com eleitores fazendo as famosas dancinhas da rede social e imagens do ex-presidente tocando bateria e também dando passinhos. 

O ritmo é pisadinha e o tema é saudade do passado, com frases como "eu sofrendo, querendo meu ex”. A música critica a situação econômica atual e remete à época em que Lula era presidente, entre 2003 e 2011. “Tinha casa, comida, motinha, charanga, mas depois de você desandou", diz o jingle.

No vídeo fim do vídeo, o pedido para que o eleitor "use a música, jogue seu passinho e publique nas redes". Veja:

Lula também lançou uma nova versão do famoso jingle usado na campanha presidencial de 1989, o “Sem medo de ser feliz”. A música foi regravada por artistas como Pabllo Vittar, Duda Beat e Chico César e divulgada em maio. Veja:

 

 

Jair Bolsonaro (PL)

Em busca da reeleição, o presidente Jair Bolsonaro divulgou um jingle cantado pela dupla sertaneja Mateus e Cristiano, com referências como a bandeira nacional e o cristianismo. A música, divulgada em 13 de julho, diz que ele é o candidato que “defende a família” e é “a salvação do nosso Brasil”. 

O vídeo mostra imagens de eleitores vestindo verde e amarelo, fotos da época em que Bolsonaro era militar do Exército e vídeo do momento em que ele levou uma facada durante a campanha de 2018. Também não ficou de fora o mote "Brasil acima de tudo e Deus acima de todos". Veja:

Ciro Gomes (PDT)

O candidato do PDT, Ciro Gomes, lançou quatro jingles até agora. O mais recente deles, no ritmo do pagode, chamado de "Pagode do Cirão". A letra critica Lula e Bolsonaro, que estão na frente nas pesquisas eleitorais. "Um rouba, mas faz. E outro, esse rouba sem fazer", diz a música.

O mote é "tá cansado dos mesmos de sempre, de seguir no mesmo giro? Tá na hora de olhar pro Ciro". No vídeo, o candidato aparece em trechos dançando e jogando futebol com eleitor na rua. Veja:

 

Ciro também tem um jingle chamado "Prefiro Ciro", em que reforça ser uma opção entre Lula e Bolsonaro. "Não quero o cruel nem o duvidoso, presente sem futuro nem passado já sem gosto. Não quero o que só sabe enrolar nem o que não sabe trabalhar", diz a letra. Veja:

 

 

 

Simone Tebet (MDB)

O jingle mais assistido de Simone Tebet é um "feminejo", também ritmo popular no país, com vocal feminino e letra que reforça a candidata como "força da mulher" e "esperança do Brasil". O vídeo traz imagens dela conversando com eleitores e trecho da participação da senadora na CPI da Covid. Veja:

 

 

Luciano Bivar (União Brasil)

O jingle de Luciano Bivar reforça que o candidato do União Brasil é a opção "de centro" nas eleições e fala sobre o imposto único, uma das principais bandeiras do deputado federal. "Sua vida vai melhorar, vai ficar mais barata", diz um trecho. Veja: