Brasil

Impostos e infraestrutura: o que propõem os candidatos ao governo de SP

Haddad, Tarcísio, Garcia, Elvis e Poit, candidatos ao governo de SP, participaram de debate de pool de imprensa neste sábado, 17

Debate mediado por Carlos Nascimento: os cinco mais bem posicionados candidatos ao governo de SP apresentaram suas propostas. (SBT/Divulgação)

Debate mediado por Carlos Nascimento: os cinco mais bem posicionados candidatos ao governo de SP apresentaram suas propostas. (SBT/Divulgação)

GG

Gilson Garrett Jr

Publicado em 17 de setembro de 2022 às 20h26.

Os cinco mais bem colocados nas pesquisas de intenção de voto ao governo de São Paulo participaram neste sábado, 17, de um debate realizado por um pool de veículos de imprensa formado pelo SBT, revista VEJA, jornal O Estado de S.Paulo, rádio Nova Brasil FM e portal Terra.

Durante duas horas, eles puderam apresentar as principais propostas aos paulistas, em especial sobre a economia cujo tema é o mais importante para os eleitores, segundo a mais recente pesquisa eleitoral EXAME/IDEIA. Reportagem de EXAME acompanhou o debate e reuniu o que cada um dos candidatos defende para movimentar a economia do estado.

Fernando Haddad (PT)

"Estamos vivendo uma economia de pensa pouco da base da pirâmide. Precisamos aumentar o poder de compra do salário, inclusive do servidor público. Vamos ampliar o salário mínimo paulista para 1580 reais [atualmente é de até 1.306 reais]. Vamos zerar o ICMS da carne e da cesta básica. Isso amplia o orçamento familiar e as famílias s voltam às compras e o industrial volta a produzir mais e contratar."

Tarcísio de Freitas (Republicanos)

"Proponho uma redução da nossa carga tributária. Vou abaixar o ICMS do estado, e também abaixar o IPVA. Outra proposta que tenho é retirar todos os impostos da cesta básica. Vamos fazer a diferença, dando crédito e esperança aos paulistas."

Rodrigo Garcia (PSDB)

"Temos cinco obras do Metrô em andamento e com orçamento para que, nos próximos quatro anos, sejam entregues 35 quilômetros de novos quilômetros na cidade de São Paulo. Tirei do papel, esse mês, o projeto para levar a linha 4 do Metrô até Taboão da Serra. Outro sonho é a linha 5 até o Jardim Ângela. Estamos em obras com o corredor ABC, que vamos entregar no ano que vem."

Elvis Cezar (PDT)

"A nossa proposta é o diagnóstico de cada região metropolitana. Com guerra fiscal, e outros estados reduzindo impostos, se São Paulo não tomar uma atitude vai ter a maior de desindustrialização de todos os tempos. Precisamos fazer São Paulo voltar a ser a locomotiva do país, com redução do pedágio, e redução de impostos."

Vinicius Poit (Novo)

"Quero tirar o governo do cangote do empreendedor, revogar o imposto que foi colocado sobre o remédio, a comida, até sobre o carro usado. Quero devolver o imposto que está parado de crédito tributário. Em cada uma das mais de 5 mil de escolas não vai faltar mural de emprego e renda."

VEJA TAMBÉM: Quem são os candidatos ao Senado pelo estado de SP nas eleições de 2022

Como estão as pesquisas ao governo de SP

Pesquisa eleitoral divulgada pelo Datafolha na quinta-feira, 15, mostra o petista Fernando Haddad na liderança da disputa pelo governo de São Paulo, com 36% das intenções de voto. Atrás dele está Tarcísio de Freitas , com 22%, e Rodrigo Garcia, com 19%, em uma pesquisa estimulada. Considerando a margem de erro da pesquisa, Tarcísio e Rodrigo estão empatados.

O Datafolha registrou um aumento de quatro pontos percentuais de Garcia, em relação à pesquisa do dia 1º de setembro. Tarcísio cresceu um ponto. Com isso, a diferença entre os dois se estreitou nesta reta final de campanha. Haddad oscilou um ponto para baixo.

yt thumbnail

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais para presidente de 2022:

Acompanhe tudo sobre:EleiçõesPolítica

Mais de Brasil

Secretário de Turismo diz que 53% das atrações públicas do RS foram danificadas

Prefeito de Canoas diz que reconstrução de prédios públicos demanda mais de R$ 200 milhões

OPINIÃO: Nunca esqueceremos

Enchentes no RS: sobe para 155 o número de mortos; 94 pessoas seguem desaparecidas

Mais na Exame