Anvisa autoriza nova fase de estudos de vacina contra covid-19

Ensaio clínico do estudo incluirá 300 homens e mulheres que preenchem requisitos fixados pela equipe técnica. Mulheres grávidas e que estão amamentando não vão participar
Desenvolvimento da vacina é feito de forma global. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Desenvolvimento da vacina é feito de forma global. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
A
Agência BrasilPublicado em 07/10/2022 às 17:21.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou hoje (7), em Brasília, autorização para realização da segunda fase de desenvolvimento de vacina contra a covid-19, apoiada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). 

O ensaio clínico do estudo incluirá 300 homens e mulheres voluntários que preenchem os requisitos estabelecidos pela equipe técnica. Mulheres grávidas e que estão amamentando não vão participar.

Proteína Spike

"A Rna Mcti Cimatec HDT é baseada na tecnologia de RNA replicon (repRNA) auto amplificante, capaz de codificar a proteína Spike (S) do coronavírus, desenvolvida pela empresa americana HDT Bio. Corp. A plataforma repRNA difere das plataformas de vacina de RNA mensageiro (mRNA), disponíveis pelo potencial de gerar respostas imunes mais robustas, induzindo imunidade protetora a longo prazo e em níveis de dosagem mais baixos, com potencial para aplicação em uma única dose", explicou a agência.

O plano de desenvolvimento da vacina é feito de forma global e envolve as empresas HDT Bio (Estados Unidos), e Gennova Biopharmaceuticals (Índia), além do Senai Cimatec, sediado em Salvador e apoiado pelo Ministério da Ciência.