A página inicial está de cara nova Experimentar close button

“Badoo serve para conhecer novas pessoas", diz executiva

Lançado em 2006, Badoo tinha como objetivo ser uma rede social generalista. Mas, com o crescimento do Facebook e uma base de 500 mil usuários, precisou se reinventar.

São Paulo - Lançado em 2006, em Madri, na Espanha, pelo russo Andrey Andreev, o Badoo tinha como objetivo ser uma rede social generalista, assim como o MySpace e o Orkut. Porém, com o crescimento do Facebook e uma base já acumulada de 500 mil usuários, o serviço precisou se reinventar.

Depois de quase seis anos, o Badoo conseguiu mudar: e hoje pode ser definido como uma rede social para encontros e relacionamentos.

Um de seus diferenciais é a função que permite pagar para aumentar a exposição de seu perfil. Além disso, o usuário também pode selecionar regiões ou países alvos para a paquera. A empresa não informa sua previsão de lucro para este ano. O fato é que já supera a marca de 160 milhões de usuários, espalhados em 180 países.

Veja abaixo a entrevista com a diretora de relações publicas da empresa, Louise Thompson, que afirma: “O Badoo é uma rede social para conhecer novas pessoas”.

INFO - Quantos usuários o Badoo tem no mundo e no Brasil?

Louise Thompson - O Badoo tem mais de 160 milhões de usuários registrados, com crescimento contínuo, estando presente em mais de 180 países. Apesar de não divulgarmos os dados de nossos usuários por país, o Brasil é um mercado extremamente importante para nós. O Badoo é muito popular por aí. No momento, estamos nos concentrando no crescimento em dispositivos móveis, nas plataformas iOS, Android, Blackberry e Windows Phones.

Falando sobre estatísticas, qual a idade média dos usuários? Quantos deles são solteiros? Qual a proporção entre homens e mulheres?

Louise Thompson - Há uma divisão equilibrada entre os gêneros no Badoo, com cerca de 55% de homens e 45% de mulheres, de todas as faixas acima de 18 anos. No entanto, temos mais usuários na casa dos 20 e 30 anos, e 33% de nossos usuários estão com 35 anos ou mais. Apesar de não divulgarmos estatísticas sobre o status do relacionamento de nossos usuários, nós sabemos que aproximadamente 70% deles estão no Badoo procurando amizade, e cerca de 30% em busca de namoro.


Qual o posicionamento do Badoo atualmente? É uma rede social generalista, como o Facebook, ou está mais para um site para encontros casuais?

Louise Thompson - O Badoo é uma rede social para conhecer novas pessoas. Nosso objetivo é tornar rápido, fácil e divertido conhecer pessoas e fazer conexões para amizade, paquera e até mesmo um namoro. Acreditamos que há um papel crucial para um serviço como o Badoo, já que ele cumpre um objetivo importante nas redes sociais: o de ser capaz de conhecer novas pessoas, expandir seu círculo social online e offline, e melhorar a sua vida social.

Quais tipos de serviço o usuário tem de pagar para ter acesso? Quanto isso custa?

Louise Thompson - Todos os recursos principais do Badoo são gratuitos e proporcionam uma boa experiência. Se você tiver interesse de aumentar a sua visibilidade para os outros usuários, você pode optar por comprar os "Superpoderes", que são recursos premium que lhe dão a oportunidade de aumentar as suas chances de ser visto. Esses incluem o “Foco”, para maior visibilidade, e o "Ficar no topo", que coloca você no topo do ranking de busca. Cada vez que se utiliza um desses recursos, são debitados 100 créditos de sua conta do Badoo. O pacote de 100 créditos custa R$ 2,99; o de 550 custa R$14,99; o de 1.250 sai por R$ 29,99; e o de 2.750 custa R$ 59,99.

Nos Estados Unidos o Badoo tem uma postura de mercado mais agressiva. Por lá, é possível encontrar publicidade no metrô, por exemplo. Por que vocês não aplicam esse tipo de estratégia no Brasil?

Louise Thompson - Os EUA são um mercado relativamente novo para nós; é um dos países onde estamos crescendo mais rápido. Então, tivemos o interesse de levar a marca do Badoo para as pessoas de uma forma atraente e convincente. Estamos focados em Nova York, já que é naturalmente um centro social. Embora não descartamos a possibilidade de abordagens de marketing em países como o Brasil, nosso crescimento natural sempre foi muito forte. Nosso foco está em fazer do Badoo um produto mais atraente o possível, para que esse “boca a boca” positivo sempre.


Recentemente, noticiamos que o Badoo contratou alguns ex-executivos do Google, como Benjamin Ling e Jeff Hardy, para direcionar o crescimento da companhia. Em quais tipos de negócio o Badoo está focado para crescer no momento?

Louise Thompson - Benjamin Ling e Jeff Hardy são ambos essenciais para o crescimento do Badoo, e estamos contentes com o fato de eles terem se juntado à empresa. Nosso foco agora está em promover nosso crescimento internacional, e em garantir que nossos usuários possam desfrutar da ferramenta por meio das múltiplas plataformas, cada vez mais móveis, em todo o mundo.

Podemos dizer que o Badoo é um bom serviço para brasileiros procurando por namorados estrangeiros?

Louise Thompson - O Badoo é um bom serviço para quem quer fazer novas conexões, amizades e relacionamentos, tanto no próprio país como no exterior. Uma das coisas que nos orgulha é a nossa base de usuários internacional e multicultural. Adoramos ver como nossos usuários interagem além das fronteiras geográficas. Mas também tornamos muito fácil encontrar alguém localmente, no seu bairro, e é aí que nossos aplicativos móveis realmente entram em cena.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também