Acompanhe:

Em meio a tensões crescentes no Oriente Médio, as forças militares de Israel informaram que parte dos ataques do Hamas foi interceptado pelo Domo de Ferro, um robusto sistema de defesa antimíssil desenvolvido pelo país.

Dos cerca de 1.050 mísseis e morteiros disparados, 850 foram interceptados pelo Domo de Ferro desde sábado, 7.

Diversas imagens e vídeos mostram a capacidade do sistema, revelando como ele destrói diversos mísseis no ar simultaneamente e impede que caiam em áreas civis.

(Photo by ANAS BABA/AFP via Getty Images) (Anas Baba/AFP)

Para chegar nesse nível de precisão, foram necessários anos de desenvolvimento. O início das pesquisas para a instalação de um sistema de defesa aérea remonta a mais de 35 anos, quando Israel firmou parceria com os Estados Unidos em um projeto de defesa estratégica.

Em 1986, o Ministério da Defesa de Israel decidiu desenvolver um sistema alinhado às necessidades de segurança do país, resultando em diversas ferramentas de defesa nos anos seguintes.

O "Domo de Ferro", como é conhecido hoje, começou a ser desenvolvido em 2007 pela Rafael Advanced Defense Systems e a Israel Aerospace Industries. Após passar por inúmeros testes, o sistema tornou-se operacional em março de 2011. Em abril do mesmo ano, demonstrou sua eficácia ao derrubar um míssil direcionado a uma cidade israelense.

O núcleo da estratégia do Hamas para derrotar a Cúpula de Ferro, durante a incursão terrorista no sábado, focou em uma fraqueza obvia: o volume do ataque.

Os foguetes utilizados pelo Hamas são muito mais baratos de fabricar do que os mísseis do Domo Ferro, tornando o sucesso do ataque numa corrida para ver quem ficará sem munições primeiro.

A onda inicial com foguetes e artilharia, coincidiu com o aparecimento de forças invasoras em múltiplas frentes, e foi o que levou o Hamas a romper a barreira área por alguns momentos.

Leia também: Guerra de Israel e Hamas: Itamaraty confirma que 1.700 brasileiros em Tel Aviv já pediram resgate

Funcionamento do "Domo de Ferro":

A operação do sistema baseia-se em instrumentos avançados de monitoramento, incluindo radares que detectam ataques inimigos. Ao identificar um ataque, a tecnologia determina a trajetória do míssil inimigo e, se áreas urbanas estiverem sob ameaça, lança um míssil interceptor para neutralizar a ameaça em pleno ar.

Este sistema móvel pode ser implantado em qualquer região do país, com baterias de mísseis interceptores alocadas em veículos militares.

Confira cada uma das características que permitem a precisão do sistema:

  • Instrumentos de monitoramento: Utiliza radares avançados para detectar ataques inimigos em tempo rea
  • Cálculo de trajetória: Ao identificar um míssil inimigo, a tecnologia determina sua trajetória, avaliando se áreas urbanas serão afetadas.
  • Lançamento de interceptores: Se detectada uma ameaça a áreas urbanas, o sistema lança um míssil interceptor.
  • Neutralização em pleno ar: O míssil interceptor é projetado para colidir e detonar o míssil inimigo antes que ele alcance seu alvo.
  • Mobilidade: Sistema versátil que pode ser implantado em qualquer região do país, com baterias de mísseis interceptores que podem ser alocadas em veículos militares.

A capacidade do sistema de defesa

Quanto à sua eficácia, o Ministério da Defesa relata que o Domo de Ferro intercepta aproximadamente 90% dos ataques inimigos, com o sistema em constante evolução e contando com o suporte dos Estados Unidos.

Recentemente, o Hamas anunciou uma grande operação, com milhares de foguetes sendo lançados contra Israel.

Sirenes soaram em diversas cidades israelenses, com ataques atingindo infraestruturas e veículos. Em resposta, o primeiro-ministro israelense iniciou a operação "Espadas de Ferro", reforçando a importância de sistemas como o Domo de Ferro em tempos de conflito e instando os cidadãos a seguirem protocolos de segurança.

LEIA TAMBÉM

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Secretário-geral da ONU defende investigação independente sobre mortes em Gaza
Mundo

Secretário-geral da ONU defende investigação independente sobre mortes em Gaza

Há 7 horas

Reunião do G20 não chega a consenso sobre guerras e termina sem comunicado conjunto
Brasil

Reunião do G20 não chega a consenso sobre guerras e termina sem comunicado conjunto

Há 18 horas

No G20, ministro de Finanças da Alemanha mostra otimismo sobre menção a guerras em comunicado
Mundo

No G20, ministro de Finanças da Alemanha mostra otimismo sobre menção a guerras em comunicado

Há 23 horas

Os canais de Suez e do Panamá estão na mínima histórica de comércio. Como isso afeta o mundo?
Mundo

Os canais de Suez e do Panamá estão na mínima histórica de comércio. Como isso afeta o mundo?

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais