Tecnologia

´DilmaBoy´ é o vídeo de humor mais compartilhado do mundo

Clipe em que estudante diz que Dilma Rousseff ganhará eleições já foi divulgado pela própria candidata

DilmaBoy: "Trending video" no  Twitter e Facebook (.)

DilmaBoy: "Trending video" no Twitter e Facebook (.)

DR

Da Redação

Publicado em 16 de julho de 2010 às 11h20.

São Paulo - O vídeo do estudante goiano Paulo Reis, o "DilmaBoy", é hoje o vídeo de humor mais compartilhado do mundo nas redes sociais Facebook e Twitter, de acordo com o site Zocial.tv, que classifica filmes da internet de acordo com a quantidade de citações nos sites. No ranking geral, que considera todas as categorias de vídeo, ele aparece na quinta posição.

Após estourar na web saltando em poucos dias para mais de 58 mil visualizações, o vídeo do estudante, que ficou conhecido pelo apelido de "DilmaBoy", já está sendo propagado até mesmo pela campanha oficial de Dilma Rousseff (PT). Depois do deputado federal José Genoíno, ex-presidente do partido, ontem foi a vez da própria candidata à Presidência da República elogiar o filme em seu perfil no Twitter.

No vídeo, Reis, que já declarou não ter qualquer filiação política, compara Dilma a Evita Perón em uma paródia da música Telephone de Lady Gaga. "Sorry, Serra, mas essa você vai perder. Ela não é o cara, mas é amiga do homem. Você não é o cara nem amigo do homem", canta o DilmaBoy. O sucesso foi tanto que o estudante mudou seu perfil no Twitter para @dilmaboyoficial.

O recurso de incorporação do vídeo em outros sites foi desativado, mas o clipe pode ser conferido no YouTube.

Leia outras notícias sobre o YouTube ou sobre Eleições 2010
 

Acompanhe tudo sobre:Dilma RousseffEleiçõesEleições 2010Empresas de internetempresas-de-tecnologiaGoogleInternetPersonalidadesPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileirosPT – Partido dos TrabalhadoresRedes sociaisVídeosYouTube

Mais de Tecnologia

Uber apresenta instabilidade no app nesta sexta-feira

Zuckerberg diz que reação de Trump após ser baleado foi uma das cenas mais incríveis que já viu

Companhias aéreas retomam operações após apagão cibernético

O que faz a CrowdStrike, empresa por trás do apagão cibernético

Mais na Exame