Tecnologia
Acompanhe:

Assinatura do Amazon Prime no Brasil vai aumentar; veja data e preço

Serviço que oferece entregas com frete grátis e Prime Video vai ficar mais caro em breve

 (David Paul Morris/Bloomberg/Getty Images)

(David Paul Morris/Bloomberg/Getty Images)

L
Laura Pancini

3 de maio de 2022, 10h46

Após a Amazon aumentar o preço de seu serviço de assinatura no exterior, chegou a vez do Brasil. A gigante do e-commerce anunciou nesta terça-feira, 3, que, a partir do dia 20 de maio, o Amazon Prime irá de R$ 9,90 para R$ 14,90 mensais.

A mudança já era prevista por analistas. A empresa de Jeff Bezos teve de pagar salários maiores e bônus para atrair trabalhadores em meio a uma oferta restrita de mão de obra.

Na última semana, a Amazon anunciou os resultados financeiros do primeiro trimestre do ano e mostrou um prejuízo líquido de US$ 3,8 bilhões e o menor crescimento de vendas desde 2001

Após a divulgação, as ações da empresa caíram 14% na sexta-feira, 29, e o fundador Bezos perdeu cerca de US$ 20,5 bilhões de sua fortuna, ficando com um patrimônio líquido de aproximadamente US$ 148,4 bilhões, segundo o Bloomberg Billionaires Index.

Quanto custa o Amazon Prime no Brasil?

A partir do dia 20 de maio, o serviço Prime irá custar R$ 14,90 mensais.

A mudança é a primeira vez que a companhia aumenta o preço do Prime no Brasil, desde o início do programa em 2019. O preço original era de R$ 9,90.

A assinatura anual também aumenta. Ela vai de R$ 89 (R$ 7,41 por mês) para R$ 119 (R$ 9,91 por mês).

Já sou assinante do Prime, o preço vai aumentar?

Assinantes do Prime vão receber o novo preço na fatura somente no dia 24 de junho.  Quem ainda não tem o serviço, tem até o dia 19 de maio para assinar pelo valor original.

O que o Amazon Prime oferece?

Ao fazer a assinatura mensal, os clientes brasileiros têm direito a frete grátis, promoções exclusivas, o serviço de streaming Prime Video e outras plataformas como Amazon Music, Prime Reading e Prime Gaming.

De acordo com a Amazon, o Prime conta com mais de 200 milhões de membros pelo mundo.

LEIA TAMBÉM: