Tecnologia

Amazon Prime ficará mais caro? Analistas acreditam que sim

Os custos de operação da Amazon cresceram e o preço do serviço de entrega de produtos e streaming de mídia Prime, provavelmente, terá de acompanhar

 (AFP/Reprodução)

(AFP/Reprodução)

Quando a Amazon.com divulgar seus resultados trimestrais na quinta-feira, 3, uma questão importante será se a companhia finalmente aumentará o preço do serviço de entrega de produtos e streaming de mídia Prime.

A empresa tem vários motivos para fazer isso, afirmam analistas. A Amazon teve de pagar salários maiores e bônus para atrair trabalhadores em meio a uma oferta restrita de mão de obra.

A Amazon previu um lucro operacional entre zero e US$ 3 bilhões para o último trimestre e analistas estimam algo próximo de US$ 2,5 bilhões, segundo a empresa de pesquisa FactSet. O mercado esperam um aumento de preço em breve para o Prime.

"Já estava na hora", disse Michael Pachter, da Wedbush Securities. "Os custos de envio aumentaram, ponto."

Mark Mahaney, analista da Evercore ISI, disse que o aumento do preço do Prime é facilmente justificado por combustível mais caro, transporte rodoviário mais custoso, além da própria inflação dos produtos. Os assinantes mais de 200 milhões em todo o mundo, incluindo a maioria das residências dos Estados Unidos aceitarão pagar mais porque desejam entrega rápida, disse o analista. Isso vale potencialmente bilhões de dólares para os resultados da Amazon.

"Eles têm poder de precificação porque a proposta de valor é muito forte", disse Mahaney.

A rival Netflix aumento seus preços nos EUA há algumas semanas.

A Amazon se recusou a comentar os preços do Prime. Em outubro, o diretor financeiro, Brian Olsavsky, disse que a varejista não tinha nenhum aumento para anunciar, mas "sempre analisamos isso". Ele citou o valor do Prime e o tempo desde o último reajuste como pontos a ser considerados.

Entre os fatores que não destacou está a confiabilidade. Três pessoas que trabalharam na Amazon disseram que a empresa pensaria duas vezes antes de aumentar o valor da assinatura até que sua operação volte ao normal, apontando alguns atrasos no envio de produtos.

A empresa não adicionou um grande benefício ao Prime recentemente e ainda não conseguiu atingir capacidade de fazer entregas em um dia conforme prometeu há quase três anos.

"Dados todos os desafios logísticos do quarto trimestre, aumentar o preço do Prime não parece apropriado", disse Scott Jacobson, ex-executivo sênior da Amazon e que agora trabalha para a Madrona Venture Group.

Acompanhe tudo sobre:AmazonAmazon Prime VideoDeliveryEXAME-no-Instagram

Mais de Tecnologia

Alphabet registra lucro líquido de US$ 23,6 bilhões no segundo trimestre de 2024

Visa e Banco do Brasil lançam pagamento por aproximação em relógios da Garmin

CEO da CrowdStrike é convidado a depor no Senado dos EUA sobre falha que afetou PCs Windows

Starlink quer adicionar 7,5 mil novos satélites na rede acessada pelo Brasil

Mais na Exame