Os melhores analistas indicam as melhores ações para 2011

Os analistas que mais acertaram no ano passado indicam suas ações favoritas para 2011

Os cinco analistas destacados nesta reportagem foram os melhores do mercado brasileiro em 2010. Num ano em que o Índice Bovespa subiu apenas 1%, as carteiras de ações indicadas por esses profissionais valorizaram no mínimo 17,5%, segundo um levantamento feito por EXAME com as 30 principais corretoras que operam na BM&F Bovespa. Todos eles souberam fugir das incertezas que cercavam a capitalização da Petrobras — o tumultuado processo derrubou as ações da companhia e levou o Ibovespa a ter o desempenho pífio que teve. O primeiro da lista, Carlos Firetti, analista-chefe da Bradesco Corretora, acertou em cheio ao recomendar ações de empresas voltadas para o mercado interno, como a rede de farmácias Drogasil, cujas ações valorizaram 47% em 2010. Quem seguiu suas orientações no ano passado teve ganhos de 28,5%. Nas páginas a seguir, os cinco analistas que mais acertaram no ano passado revelam a EXAME suas ações prediletas para 2011.

Carlos Firetti, analista-chefe da Bradesco corretora:

Valorização da carteira de ações em 2010: 28,5%.

Ações preferidas para 2011: Cetip, Drogasil e Fleury

“Estou otimista com 2011. O governo acertou ao propor os cortes orçamentários e apoiar uma política monetária que controle a inflação. Falta saber como essas medidas serão colocadas em prática e quais serão seus reflexos imediatos para a bolsa, mas um passo importante foi dado. Apesar de desacelerar a economia, essas decisões são bem-vindas. Segundo nossos cálculos, o lucro das empresas listadas em bolsa subirá 25%. Com isso, minha estimativa é que o Ibovespa baterá os 86 000 pontos em dezembro. As ações das empresas de saúde estão entre as minhas preferidas, porque esse setor está, ao mesmo tempo, crescendo e se consolidando. De forma geral, os brasileiros têm gastado mais com saúde. Minha aposta na Cetip tem a ver com o desenvolvimento do mercado de renda fixa, já que um número maior de empresas está lançando mais títulos para se financiar.”

Rodrigo Ferraz, analista-chefe da corretora Brascan:

Valorização da carteira de ações em 2010: 21%.

Ações preferidas para 2011: CSN, Usiminas e Vale

“Estamos no meio de outro ciclo de aumento dos preços das commodities, e isso vai dar um novo fôlego à Bovespa, tradicionalmente exposta ao desempenho de empresas desse segmento. A Vale é uma das minhas grandes apostas. As exportações para a China, que é o maior mercado da empresa, devem continuar elevadas, porque o país precisa de minério de ferro para expandir sua infraestrutura. Além da Vale, duas ações devem surpreender neste ano: CSN e Usiminas. Essas companhias foram desdenhadas pelos investidores em 2010 porque ninguém sabia como a demanda mundial por aço se comportaria. Só que o estoque de aço está diminuindo à medida que os países desenvolvidos se recuperam, e isso vai beneficiar essas empresas.”


Marco Saravalle, analista da corretora Coinvalores:

Valorização da carteira de ações em 2010: 20,9%.

Ações preferidas para2011: CCR, Lojas Renner e Vale

“O crescimento econômico não deve ser tão forte neste ano como foi em 2010, mas as boas condições macroeconômicas vividas pelo Brasil vão se manter. O processo de aumento de renda e de consumo das classes C e D continua. Também espero mais investimentos em infraestrutura — não há como um país crescer 4% ou 4,5% ao ano sem desenvolver seus portos, rodovias e aeroportos. Por isso, assim como fizemos no ano passado, seguimos recomendando a compra de ações ligadas aos setores de consumo e de infraestrutura. Uma mudança para 2011 é a indicação de ações de produtoras de commodities, porque a demanda global por metais e produtos agrícolas está em alta.”

Oswaldo Telles, analista-chefe da corretora Banif:

Valorização da carteira de ações em 2010: 19,8%.

Ações preferidas para 2011: Lojas Americanas, PDG Realty e Vale

“Estamos num bom momento para novos investimentos em ações. A queda do Ibovespa no início do ano deixou alguns papéis baratos. Continuo otimista com o setor de construção civil porque ainda há muita demanda por imóveis no país, em todas as faixas de renda. As ações dessas companhias caíram muito em fevereiro, depois que foram anunciados cortes no programa Minha Casa, Minha Vida. Houve um claro exagero. Também há oportunidades no setor de consumo. A economia deve crescer menos, mas vai crescer, e isso deve continuar favorecendo o consumo. Gosto da Lojas Americanas porque a empresa tem uma gestão sólida e vem apresentando bons resultados.”

Kelly Trentin, analista-chefe da corretora Spinelli:

Valorização da carteira de ações em 2010: 17,5%.

Ações preferidas para 2011: Banrisul, CCR e Gol

“A situação dos países desenvolvidos melhorou um pouco nos últimos meses, mas ainda há focos de tensão. A rolagem da dívida de Portugal, Irlanda, Grécia e Espanha será um motivo de estresse para o mercado nos próximos meses. Acredito que as ações menos afetadas pela volatilidade serão as de empresas voltadas para o mercado interno. Um destaque é a CCR. A empresa tem boa margem de lucro, projetos rentáveis, como o rodoanel de São Paulo, e ainda reajusta suas tarifas pela inflação, o que é uma proteção contra as altas de preços. Também gosto bastante da Gol. O número de pessoas em condições de viajar está crescendo, e isso deve continuar ajudando a aumentar a venda de passagens aéreas. Minha outra grande aposta para 2011 é o banco Banrisul, que vem aumentando suas margens de lucro e o tamanho de sua carteira de crédito acima da média do mercado.”

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.