Pop
Acompanhe:

Pesquisadores suíços calculam pi e batem recorde: 62,8 trilhões de dígitos

O cálculo do supercomputador levou 108 dias e nove horas — 3,5 vezes mais rápido que o recorde anterior

 (domin_domin/Getty Images)

(domin_domin/Getty Images)

B
Bibiana Guaraldi

17 de agosto de 2021, 15h47

Usando um supercomputador, pesquisadores suíços levaram o cálculo da constante matemática pi (π) a um novo nível de exatidão ao precisar 62,8 trilhões de dígitos. De acordo com o jornal inglês The Guardian, com o feito, os matemáticos bateram o recorde mundial.

Pi representa a razão entre a circunferência de um círculo e seu diâmetro, com um número infinito de algarismos após o ponto decimal.

“O cálculo levou 108 dias e nove horas”, informa um comunicado da Universidade Graubuenden de Ciências Aplicadas. "Quase duas vezes mais rápidos que o recorde que o Google estabeleceu usando sua nuvem em 2019 e 3,5 vezes mais rápido que o recorde mundial anterior em 2020", de acordo com o Centro de Análise, Visualização e Simulação de Dados da universidade.

Os pesquisadores aguardam o Guinness Book of Records para certificar seu feito, mas já revelaram os 10 dígitos finais que calcularam para o pi: 7817924264.

O cálculo anterior, recorde mundial, alcançou 50 trilhões de algarismos.

Os pesquisadores, no entanto, continuam a empurrar os cálculos para a constante, cujos primeiros 10 dígitos são 3,141592653, usando computadores.

O esforço empreendido pelos cientistas suíços vai além da simples matemática. De acordo com a equipe, a tecnologia desenvolvida e a experiência que construíram com o cálculo do pi pode ser aplicada a outras áreas, como “análise de RNA, simulações de dinâmica de fluidos e análise textual”.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.