Acompanhe:

Em busca do amor ideal? Homem usa ChatGPT para encontrar futura esposa e viraliza

Na última semana, um jovem russo de 23 anos criou uma maneira criativa de encontrar o "match perfeito" via aplicativos, apertando apenas alguns botões

Modo escuro

Continua após a publicidade
Conhecido nas redes sociais por usar o ChatGPT de forma criativa, Zhadan publicou a ideia no X (antigo Twitter) e o conteúdo viralizou (Kilito Chan/Getty Images)

Conhecido nas redes sociais por usar o ChatGPT de forma criativa, Zhadan publicou a ideia no X (antigo Twitter) e o conteúdo viralizou (Kilito Chan/Getty Images)

Achar um amor nos últimos tempos anda bastante difícil para as gerações mais jovens. Isso porque, para eles, encontrar as pessoas presencialmente é exaustivo e "dar match" com alguém realmente compatível em aplicativos de namoro está longe de ser uma tarefa simples. Mas o ChatGPT pode ajudar nisso.

Na última semana, um jovem russo de 23 anos, Alexander Zhadan, criou uma maneira criativa de encontrar o "match perfeito" via aplicativos. Ele recorreu e treinou o ChatGPT para filtrar mais de 5,2 mil perfis de mulheres em aplicativos de namoro, em busca da perfeita futura esposa. E não só conseguiu como também obteve dicas da plataforma para pedi-la em casamento.

Conhecido nas redes sociais por usar o ChatGPT de forma criativa, Zhadan publicou a ideia no X (antigo Twitter) e o conteúdo viralizou. "Pedi uma garota em casamento que foi selecionada pelo ChatGPT; vínhamos nos comunicando há um ano. Para isso, o programa filtrou o perfil de outras 5.239 meninas, eliminou as que não tinham "match" com o meu perfil e deixou apenas uma. Vou contar como fiz esse sistema, quais problemas tive no processo e o que aconteceu com as outras meninas", disse ele na postagem.

É possível encontrar o amor pelo ChatGPT?

Depois de viralizar nas redes sociais, a história de Zhadan gerou um debate intenso sobre o uso das ferramentas de inteligência artificial para revolucionar a forma de se relacionar amorosamente com as pessoas. O jovem de 23 anos admitiu, no entanto, que sua história pode mudar sim a forma como os outros veem o webnamoro, mas conseguir um amor nessas condições não é exatamente simples: o ChatGPT tem suas limitações. Nas publicações, o russo disse também que precisava se envolver pessoalmente para se conectar com suas possíveis companheiras.

Para fazer o filtro das mais de 5 mil garotas "avaliadas", Zhadan estabeleceu alguns critérios de escolha: os perfis tinham de ter mais de duas fotos, informações sobre mapa astral, preferências religiosas, declarações sobre a guerra na Ucrânia. Para ele, era importante atender a certos requisitos, o que faria todo mundo perder menos tempo.

O negócio é que Zhadan foi além do filtro dos perfis, ele também treinou o ChatGPT para se comunicar com os possíveis pares restantes em seu nome. As referências foram suas próprias conversas com pretendentes anteriores, com uma certa validação de respostas. Em entrevista à Settlers Media, ele disse que levou cerca de 120 horas de trabalho para criar o comando perfeito na ferramenta de IA. E as primeiras tentativas não foram lá as melhores.

O ChatGPT marcou o primeiro encontro de Zhadan sem realmente avisá-lo, o que gerou um certo desencontro de tempo. Depois, em uma outra oportunidade, outra pretendente foi selecionada para um encontro no Parque Bitsa de Moscou, uma floresta na Rússia onde um serial killer escondeu os corpos de suas vítimas no início dos anos 2000. Foram 11 encontros frustrados até que ele finalmente conhecesse Katerina, sua atual noiva.

Depois do primeiro encontro: dicas de como se portar

Assim que se encontrou com Katerina, Zhadan partiu em busca de dicas para manter o relacionamento saudável e produtivo. O ChatGPT o aconselhou a falar sobre sua infância, seus pais, seus objetivos e valores durante os encontros. Até mesmo o pedido de noivado foi feito com ajuda da ferramenta de IA.

Mesmo assim, nem tudo foi feito só pelo computador. Alexander esclareceu que desempenhou um papel no processo de seleção, posto que revisou cada interação que teve com as garotas com quem namorou e transmitiu sua experiência ao ChatGPT para uma avaliação mais objetiva. “Não devemos esquecer a interação emocional. Fui aos encontros, eu mesmo já estava envolvido – avaliei se a garota era adequada para mim ou não. Com base nos resultados da data, fiz uma avaliação (do que gostei e do que não gostei) e adicionei ao banco de dados. Então, o ChatGPT tomou a decisão de continuar a comunicação ou não", disse ele nas publicações do Twitter.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Ministério Público cobra explicações do governo de SP sobre uso do ChatGPT para produzir aulas
Brasil

Ministério Público cobra explicações do governo de SP sobre uso do ChatGPT para produzir aulas

Há 14 horas

Os 5 GPTs que mostram o potencial da inteligência artificial
Inteligência Artificial

Os 5 GPTs que mostram o potencial da inteligência artificial

Há um dia

OpenAI, criadora do ChatGPT, abre primeiro escritório na Ásia
Inteligência Artificial

OpenAI, criadora do ChatGPT, abre primeiro escritório na Ásia

Há 4 dias

Usou ChatGPT? Cuidado, algumas palavras entregam que foi a IA quem escreveu
Inteligência Artificial

Usou ChatGPT? Cuidado, algumas palavras entregam que foi a IA quem escreveu

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais