Pequenos negócios estão otimistas para o Dia das Mães

Para 94% dos donos de micro e pequenas empresas, faturamento deve aumentar ou permanecer estável

Brasília – Os proprietários de micro e pequenas empresas estão otimistas em relação ao faturamento com a chegada do Dia das Mães, tradicionalmente um bom período para o comércio. De acordo com o Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (ICPN), pesquisado mensalmente pelo Sebrae, 94% dos empresários entrevistados esperam ampliar ou manter o faturamento nos meses de abril e maio.

Esse percentual representa um forte aumento em relação ao índice de confiança medido entre os pequenos negócios no primeiro mês do ano. O ICPN pesquisado em janeiro mostrou que 78% dos empresários esperavam aumentar ou manter seu faturamento, 16 pontos percentuais abaixo do índice atual.

Essa maior confiança dos empresários na economia brasileira confirma a expectativa do presidente do Sebrae, Luiz Barretto, para quem os resultados econômicos de 2013 serão ainda melhores que os registrados no ano passado. “O mercado interno continua impulsionando os pequenos negócios e consequentemente beneficiam a economia, já que as micro e pequenas são 99% das empresas brasileiras”, destaca.

Os quatro setores analisados – Indústria, Construção Civil, Serviços e Comércio – compartilham da mesma expectativa positiva. Entre os pequenos negócios da Indústria e Construção, 95% esperam que o faturamento cresça ou se mantenha estável. Já no setor Serviços, 94% dos empresários também estão confiantes. O Comércio vem logo em seguida, com 93%.

O bom cenário de faturamento previsto pelos empresários acaba refletindo também na manutenção ou geração de emprego e renda. Entre os proprietários de micro e pequenas empresas entrevistados pela pesquisa, 98% esperam não somente manter o quadro de funcionários, mas também realizar novas contratações em função de uma expectativa de aquecimento da economia.

O Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (ICPN) é medido em uma escala que varia de 0 a 200. Acima de 100 aponta tendência à expansão das atividades, enquanto abaixo desse valor indica possível retração. O ICPN atingiu em março o nível 115 mostrando a tendência à expansão dos negócios.

As empresas da Construção foram o principal destaque. Neste setor o ICPN atingiu o nível 120. A pesquisa abrange amostra de 5,6 mil empreendimentos de todos os setores – Indústria, Comércio, Serviços e Construção Civil - entre microempreendedores individuais (com receita bruta de até R$ 60 mil por ano), microempresas (que faturam entre R$ 60 mil e R$ 360 mil por ano) e negócios de pequeno porte (com faturamento bruto anual entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões).

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.