Pequenas empresas nos EUA abrem mão de recuperação judicial

Entrar com pedido de recuperação judicial nos EUA é caro. A pandemia levou companhias com dinheiro em caixa a perder a confiança na via judicial

Entrar com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos é caro, especialmente para pequenas empresas. Com o avanço da pandemia, mesmo companhias com dinheiro suficiente para tentar se reorganizar pela via judicial perderam a confiança de que poderiam permanecer abertas após reduzir as dívidas.

Em 28 de março, Carol e Henry Huffman de Pike Creek, Delaware, simplesmente fecharam sua loja especializada em catering, a Cheese Chalet, em vez de buscar proteção judicial contra credores e a chance de reabertura. “Esperar não era uma opção”, disse Carol Huffman em entrevista. “Eles continuavam dizendo que poderia haver outra paralisação no outono.”

Centenas de milhares de proprietários de pequenas empresas tomaram a mesma decisão em 2020, de acordo com pesquisadores. Coletivamente, demitiram milhões de funcionários e fecharam pequenas lojas, restaurantes e outras empresas em uma onda de fechamentos silenciosos.

O próximo ano pode ser diferente caso a distribuição generalizada de vacinas der esperança aos empresários que o corte da dívidas sob recuperação judicial vale mais a pena. “A recuperação judicial exige que as pessoas tenham esperança de que haverá um futuro melhor do outro lado”, disse Jared Ellias, professor de falências da Universidade da Califórnia - Faculdade de Direito de Hastings. “Acredito que haverá um grande salto no primeiro e segundo trimestres, especialmente. O fator não será a pandemia. Será a vacina.”

Futuro melhor

Uma série de fechamentos normalmente causaria o aumento dos pedidos de recuperação judicial, de acordo com estudo de acadêmicos da Universidade de Illinois, Universidade Brigham Young e Harvard Business School.

Mas em 2020 os processos diminuíram, pois alguns proprietários de empresas fecharam os negócios, enquanto outros receberam apoio governamental suficiente para atrasar as reorganizações. “Todos esperávamos um aumento”, disse Jialan Wang, professora assistente de finanças da Universidade de Illinois. “Fomos surpreendidos ao longo do ano.”

Até novembro, os pedidos de recuperação judicial haviam caído 20% em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com estatísticas do American Bankruptcy Institute.

Advogados que trabalham com pequenas empresas pediram aos clientes que esperem para entrar com o processo, se puderem, para que tenham uma chance melhor de sobrevivência a longo prazo, disse John Mudd, advogado de falências que trabalha principalmente com bancos em San Juan, Porto Rico.

“Pedir recuperação judicial pode ter custos altos”, disse. Os custos do processo e a remuneração inicial de um advogado podem chegar a US$ 10 mil ou US$ 15 mil, disse. “Muitos proprietários de empresas dirão: ‘É muito dinheiro’.”

bloomberg_pme_rj_eua.jpg

 (Bloomberg/Bloomberg)

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.