Startup quer acabar com burocracia nos pedidos de cidadania europeia — e já fatura R$ 20 milhões

Fundada em 2019, a Cidadania4u desenvolveu uma plataforma que automatiza todo o processo de pedidos de cidadania europeia
Rodrigo e Rafael Gianesini, fundadores da Cidadania4u: startup quer simplificar pedidos de cidadania europeia para brasileiros (Cidadania4u/Divulgação)
Rodrigo e Rafael Gianesini, fundadores da Cidadania4u: startup quer simplificar pedidos de cidadania europeia para brasileiros (Cidadania4u/Divulgação)
M
Maria Clara Dias

Publicado em 30/08/2022 às 14:38.

Última atualização em 01/09/2022 às 11:19.

Os empreendedores brasilienses Rafael e Rodrigo Gianesini têm aversão a rotina exaustiva dos cartórios, e um processo moroso de pedido de cidadania italiana agravou isso ainda mais. Foi o descontentamento com o processo pessoal que levou a dupla a fundar a Cidadania4u, uma startup especializada em pedidos de cidadania europeia feitos por brasileiros que em 2021 faturou R$ 21 milhões.

A ideia, que veio de uma dor pessoal, nasceu com o objetivo de simplificar a vida daqueles que encaram meses — ou até mesmo anos — em busca de cidadania italiana. Não raro, cidadãos levam longos períodos de tempo para reunir todos os documentos necessários — e ainda assim não há garantia de que conseguirá a cidadania.

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio.

“Percebi na pele que esse era um  mercado dos sonhos. As pessoas buscam maneiras de conseguir a cidadania e muitas delas desistiam pela burocracia”, conta o CEO e cofundador da Cidadania4u, Rafael Gianesini.

Como funciona o negócio

Na prática, a plataforma criada em 2019 é capaz de orquestrar todo o processo de pedidos de cidadania italiana e portuguesa. A lógica está em dedicar um time de especialistas responsável por cada etapa do processo, da análise de documentos e pesquisas genealógicas à tradução de petições e assessoria jurídica. “É um longo caminho para garantir que não existam fricções e que não fique nenhuma dúvida de que aquela pessoa é a mesma do início ao fim”, diz.

Logo de cara, Gianesini percebeu que a dor estava em escalar um negócio que contava com processos tão individuais, já que cada pedido de cidadania tem lá suas particularidades.

A solução encontrada foi atrasar o lançamento da empresa ao mercado, apostando no desenvolvimento de análises preditivas e uma plataforma mais robusta do ponto de vista tecnológico. “Não queríamos começar com planilhas ou papéis, porque isso significaria apenas terceirizar o que uma pessoa já faz por conta nesse processo. Passamos um ano criando uma plataforma inteligente que fizesse tudo isso por si só”, diz.

Hoje, a plataforma da startup avalia, de forma preditiva, a viabilidade do processo e cuida de todos os trâmites. Na ponta, os clientes podem consultar o passo a passo do processo em um aplicativo. “Somos uma empresa de tecnologia que faz processo de cidadania europeia. Essa é a melhor descrição”, diz.

Planos da Cidadania4u

Atualmente com 140 funcionários, a startup está de olho em contratações para crescer ainda mais. De acordo com Gianesini, o objetivo é pelo menos triplicar anualmente. “Testamos sempre coisas novas. Somos uma empresa nova todos os anos”, diz.

Para chegar a isso, a empresa aposta na força do boca a boca, de clientes que recomendam os serviços para outras pessoas e também em melhorias na própria plataforma, com novos recursos à disposição dos clientes.

Em outra frente, a Cidadaniau4 deve inaugurar novas verticais de serviços nos próximos meses, a começar por uma frente imobiliária, de intermediação de compra e venda de imóveis em euro para brasileiros. “Vamos aproveitar que somos bons em resolver burocracias e inovar'”, diz. O produto está em fase de testes, e deve ser lançado em 2023.

Em 2019, primeiro ano da plataforma, o faturamento da empresa foi de R$ 1 milhão. Dois anos depois, foi de R$ 21,5 milhões. Já em 2022, a Cidadania4u deve faturar R$ 54 milhões.

O processo de cidadania italiana segundo Consulado no Brasil

À luz da história levantada pela Cidadania4u sobre os processos de concessão de cidadania italiana no Brasil, o Consulado Geral da Itália em São Paulo esclarece que o procedimento de reconhecimento da cidadania jure sanguinis é de competência exclusiva das Instituições Italianas. Quanto aos descendentes dos italianos imigrados no Brasil atualmente residentes nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre e Rondônia o Consulado Geral da Itália em São Paulo é a única instituição de referência.

Sobre a metodologia de análise dos processos de solicitação da cidadania italiana jure sanguinis, o Consulado explica que ela é feita em base aos documentos entregues pelos requerentes no momento da apresentação do pedido e às pastas familiares arquivadas neste Consulado. Eventuais integrações são solicitadas somente pelo Consulado Geral, quando necessário.

"O tempo de espera e de seguimento dos processos é proporcional ao alto número de requerimentos e diligência com a qual, por lei, devem ser analisados. De qualquer maneira, o prazo de conclusão é inferior ao máximo estebelecido por lei. O único custo direto solicitado pelo Consulado Geral aos requerentes do reconhecimento da cidadania jure sanguinis é uma taxa de 300 Euros (conforme estabelecido pelo Ministério das Relações Exteriores italiano - Lei n. 89 de 23 de Junho de 2014)”, afirma o Consulado, em nota.

VEJA TAMBÉM

Este empreendedor do Sul fatura R$ 1,9 bilhão com a venda de pneus — muitos deles pela internet

Empresário mineiro fatura R$ 400 milhões com sucata e marketing criativo nas redes