Seara, da JBS, investe R$ 180 mi em construção de 3ª unidade de biodiesel

Fábrica de biodiesel em Santa Catarina da gigante dos alimentos utilizará como matérias-primas resíduos como gorduras de aves e suínos

São Paulo — A Seara Alimentos, subsidiária da JBS, investirá 180 milhões de reais na construção de uma fábrica de biodiesel em Santa Catarina, com operação prevista para 2021, informou a maior produtora global de carnes nesta terça-feira, 30.

A terceira unidade de biodiesel da JBS utilizará como matérias-primas resíduos como gorduras de aves e suínos, material farto no Estado onde a empresa possui importantes unidades de produção de carnes.

Nas outras duas fábricas de biodiesel do grupo, em Lins (SP) e Campo Verde (MT), lugares onde as operações de carne bovina da JBS são mais fortes, o sebo bovino acaba sendo a matéria-prima preponderante na produção do biocombustível.

A nova unidade da JBS Biodiesel, em Mafra (SC), mais que dobrará capacidade produtiva da empresa, a qual deve superar 600 milhões de litros/ano, disse a JBS.

A planta também poderá usar soja como matéria-prima, disse a empresa, referindo-se ao principal insumo para a produção de biodiesel no país, onde a legislação obriga a mistura 10% de biocombustível no diesel.

Somente em Santa Catarina, a JBS mantém mais de 30 operações da Seara em 18 municípios, entre unidades produtivas de aves, suínos, industrializados, fábricas de ração, entre outras.

A aposta da companhia em uma nova operação também considera o cenário otimista do setor.

"Até 2023, a partir do programa RenovaBio, a mistura de biodiesel na composição do diesel chegará a 15% com a entrada do B15", explicou o diretor da JBS Biodiesel, Alexandre Pereira, em nota enviada à Reuters.

Com a terceira unidade, a JBS Biodiesel reforçará sua posição entre as dez principais produtoras de biodiesel do país, após ter aumentado suas vendas em 25% em 2018, para 260 milhões de litros.

A JBS ressaltou que Mafra conta com logística eficiente de embarque e desembarque pelos modais ferroviário e rodoviário, além de estar a 120 km de Araucária (PR), onde está instalada a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), uma das principais unidades de mistura e distribuição de diesel do país.

"A JBS Biodiesel tem como propósito agregar valor aos resíduos da cadeia produtiva da JBS," disse a companhia. A empresa também destacou que também usa óleo de fritura recuperado para a produção de biodiesel.

"Com a nova fábrica em Mafra, [a JBS] reforçará ainda mais o seu viés sustentável, ampliando a atuação na cadeia de fornecimento dos segmentos de aves e suínos."

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.