Quem é o indiano que superou Buffett e se tornou o 5º mais rico do mundo

Gautam Adani chegou ao posto de 5º mais rico do mundo nos últimos dias, com uma fortuna de US$ 123,9 bilhões
O bilionário indiano Gautam Adani: magnata agora tem fortuna maior aque a de Warren Buffett (Sanjeev Verma/Getty Images)
O bilionário indiano Gautam Adani: magnata agora tem fortuna maior aque a de Warren Buffett (Sanjeev Verma/Getty Images)
Por Mariana DesidérioPublicado em 06/05/2022 08:00 | Última atualização em 06/05/2022 08:29Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O indiano Gautam Adani chegou ao posto de 5º mais rico do mundo nos últimos dias, com uma fortuna de US$ 123,9 bilhões. O patrimônio do indiano cresceu 2,38% ontem, o que representou um incremento de US$ 2,9 bilhões, de acordo com o ranking de bilionários em tempo real da Forbes.

VEJA TAMBÉM:

O mexicano que acumulou US$ 81 bi e ficou mais rico que Zuckerberg

Quem é o francês que ganhou US$ 82 bilhões em 2 anos

Na última semana, Adani passou o famoso bilionário Warren Buffett, que perdeu US$ 3 bilhões ontem e terminou o dia com uma fortuna de US$ 116 bilhões.

Adani atua nos setores de infraestrutura, commodities, energia e construção civil na Índia. Ele controla o porto Mundra, o maior do país, localizado na região de Gujarat. Também é dono de uma controversa mina de carvão na Austrália.

Em 2020, o bilionário adquiriu o controle do Aeroporto Internacional de Mumbai, o segundo maior da Índia, transformando-se o maior operador de aeroportos do país.

O foco do bilionário agora é a produção de energia sustentável. Ele anunciou que investirá US$ 70 bilhões em projetos de energia renovável.

Adani multiplicou sua fortuna nos anos de pandemia. Foi de US$ 8,9 bilhões em 2020 para US$ 90 bilhões em 2022, e continua crescendo, como mostram os dados do ranking diário de bilionários da Forbes.

A disparada em seu patrimônio se deve à estratégia agressiva do empresário, que foi às compras no período de pandemia. Além da participação de 74% no aeroporto de Mumbai, Adani adquiriu a unidade de energia renovável do Softbank na Índia, por US$ 3,5 bilhões.

Já esse ano, o bilionário fechou acordo para comprar a empresa de serviços marítimos Ocean Sparkle, por US$ 220 milhões.