A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Petrobras surpreende e encerra 2020 com lucro de R$ 7 bilhões

Expectativa era de que preço baixo do petróleo e queda na produção no 4º trimestre fizessem estatal ter prejuízo líquido; petroleira vive momento de troca de presidente

A Petrobras registrou lucro de R$ 59,8 bilhões no quatro trimestre do ano passado e fechou o ano de 2020 no azul, com lucro líquido de R$ 7,1 bilhões. O resultado é contrário à expectativa de prejuízo esperado pelos especialistas. 

No ano, a receita foi de 272 bilhões de reais, com o último trimestre fechando em 74,9 bilhões.

Já o EBITDA foi de 112,8 bilhões de reais em 2020 e teve um resultado no 4º trimestre de 47 bi de reais.

A dívida líquida sobre o EBITDA caiu de 2,4 para 2,2 vezes. O indicador é importante para prever a capacidade da companhia de cumprir com seus compromissos financeiros, levando em conta seu EBITDA atual. Por ainda estar altamente endividada, o indicador é acompanhado de perto pelo mercado.

Ainda vale investir em Petrobras? Confira as melhores análises de ações em Ações e Dividendos, da EXAME Invest Pro

Enquanto isso, a dívida líquida - outro importante indicador sobre a solvência da companhia - caiu para US$ 63,2 bilhões, US$ 15,7 bilhões a menos em relação à posição de 31 de dezembro de 2019.

O resultado da Petrobras de 2020 coincidiu com a semana em que o Conselho de Administração da empresa concordou em dar o primeiro passo para trocar o presidente da estatal, Roberto Castello Branco, após decisão do presidente da República Jair Bolsonaro.

Em mensagem aos acionistas, junto do resultado, o ainda presidente Roberto Castello Branco disse que a Petrobras entregou a sua promessa, apesar do ano desafiador.

"Estou muito feliz em apresentar o relatório de desempenho da Petrobras em 2020, com uma performance excepcional em um ambiente muito desafiador. Em meio à severa recessão global e aos efeitos de um grande choque na indústria de petróleo, nós prometemos estruturar uma recuperação em J. A meta era sair da crise melhor que antes. Nós entregamos nossas promessas"

Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras

Jair Bolsonaro anunciou a troca de Castello Branco na última sexta-feira, após criticar a política de preços da companhia.

Na última segunda-feira, as ações da Petrobras derreteram 20%, mas se recuperam levemente nos dias seguintes, à medida em que o governo tenta sinalizar ao mercado que não comprometará o caixa da Petrobras com qualquer política de preços, como a feita durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff. 

Produção

A produção da Petrobras em 2020 foi boa, como a companhia já havia divulgado em janeiro.

Foram obtidos recordes de produção anual, com 2,28 milhões de barris diários de petróleo e gás e de 2,84 milhões de barris de
óleo equivalente por dia de produção total. Anteriormente, marcas recordes haviam sido obtidas em 2015.

A estratégia de vendas de ativos

Com o objetivo de reduzir seu endividamento e focada na exploração de petróleo em águas profundas, a empresa vem se desfazendo de diversas frentes de negócios nos últimos dois anos, desde que o atual presidente, Roberto Castello Branco, assumiu a estatal.

Em 2019, a empresa abriu mão do controle da BR Distribuidora, uma das principais bandeiras de postos de gasolina do país. Diversos outros negócios estão na lista.

A atual gestão entende que a vocação da Petrobras é retirar petróleo de águas profundas, tecnologia que ela domina frente a outros países.

No relatório de resultados divulgado nesta quinta-feira, o presidente Castello Branco afirma que desde janeiro de 2019 foram concluídas 21 transações de vendas de ativos e 13 assinadas, que já geraram um montante de US$ 17 bilhões de entrada de caixa.

No momento, existem 50 ativos à venda em diferentes estágios em seus processos de
desinvestimento, como refinarias.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também