Negócios

SoftBank negocia compra de estúdio Dreamworks Animation

Compra tornaria a empresa parte da companhia de comunicações e mídia japonesa que tem mostrado apetite pela combinação de negócios distintos


	Compra: Hollywood Reporter afirmou que a SoftBank ofereceu 32 dólares por ação da DreamWorks
 (Divulgação)

Compra: Hollywood Reporter afirmou que a SoftBank ofereceu 32 dólares por ação da DreamWorks (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 29 de setembro de 2014 às 09h20.

Tóquio/Nova York - A SoftBank está negociando a compra da DreamWorks Animation SKG, o estúdio de Hollywood por trás dos filmes de animação "Shrek" e "Madagascar", afirmou uma fonte com conhecimento do assunto.

Uma compra da DreamWorks pela SoftBank tornaria a empresa parte da companhia de comunicações e mídia japonesa que, sob o comando de Masayoshi Son, tem mostrado apetite por grandes apostas na combinação de negócios distintos.

As negociações foram publicadas primeiro pelo Hollywood Reporter, que citou uma fonte não identificada que afirmou que o preço da aquisição atribuirá um valor de 3,4 bilhões de dólares à DreamWorks.

A Hollywood Reporter afirmou que a SoftBank ofereceu 32 dólares por ação da DreamWorks, um prêmio substancial ante o fechamento do papel na sexta-feira, a 22,36 dólares.

A compra da DreamWorks faria da SoftBank a segunda companhia japonesa de tecnologia a comprar um estúdio de Hollywood, após a aquisição da Columbia Pictures pela Sony em 1989.

Recentemente, a SoftBank engordou seu caixa em 4,6 bilhões de dólares com a oferta pública inicial da gigante chinesa de comércio eletrônico Alibaba em Nova York.

Além disso, a empresa desistiu de buscar a compra da operadora móvel norte-americana T-Mobile US diante da oposição de reguladores dos EUA.

A SoftBank não comentou o assunto e representante da DreamWorks não pode ser contatado de imediato.

Acompanhe tudo sobre:DreamWorksEmpresasEmpresas japonesasFusões e AquisiçõesSoftBank

Mais de Negócios

Justiça aceita pedido de recuperação judicial da Polishop

Fernando Goldsztein: Toda a ajuda é pouca para os atingidos pelas enchentes do RS

Rodízio caro: rede de restaurantes Red Lobster pede recuperação judicial com dívida de US$ 1 bilhão

A startup que pretende usar um fundo de R$ 150 milhões para salvar negócios no Rio Grande do Sul

Mais na Exame