Negócios
Acompanhe:

Indústria de eletros divulga números de 2022 nesta quinta. Há notícias boas — outras nem tanto

A indústria eletroeletrônica faturou R$ 211,3 bilhões em 2021, crescimento nominal de 22% em relação a 2020

Após trabalhar com crescimento de 2% em boa parte do ano, Abinee mudou projeção no último relatório e sinalizou retração da indústria (Getty Images/Reprodução)

Após trabalhar com crescimento de 2% em boa parte do ano, Abinee mudou projeção no último relatório e sinalizou retração da indústria (Getty Images/Reprodução)

M
Marcos Bonfim

8 de dezembro de 2022, 06h05

Os resultados do ano na indústria eletroeletrônica brasileira serão conhecidos nesta quinta, 8, em evento promovido pela Associação da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

Os dados de venda de produtos do setor ao longo de 2022, ao que tudo indica, devem trazer boas notícias e outras nem tanto.

As informações preliminares dão conta que o setor de bens de capitais, como geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e automação e equipamentos industriais, se saiu bem ao longo do ano e deve ter crescimento nas vendas.

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio.

No outro oposto, com queda no volume de vendas, estão os bens de consumo, itens que fazem parte do dia a dia, a exemplo de computadores, notebooks e smartphones.

Uma possível explicação é que esses mercados cresceram fortemente ao longo dos últimos anos, impulsionados pelo home office, e agora passam por um momento de desaceleração.

Qual o tamanho desse mercado

Alguns dos principais números desse mercado até agora:

  • Em 2021, o faturamento da indústria eletroeletrônica alcançou R$ 211,3 bilhões
  • Foi um crescimento nominal de 22% em relação 2020, período em que fechou R$ 173,2 bilhões
  • Considerada a inflação de 16% do setor, a expansão real foi de 6%
  • Para este ano, a entidade trabalhou desde o início com a projeção de chegar a R$ 231 milhões
  • O valor representaria alta de 9% ao ano — descontada a inflação, apresenta uma valorização real de 2%.

No acumulado de janeiro a outubro, últimos dados apresentados pela Abinee, o setor teve queda de 5,2% na produção industrial em comparação com igual período de 2021. Em boa medida, o fraco desempenho das vendas de eletrodomésticos, por exemplo, colaborou para esse resultado.

LEIA TAMBÉM

Demitido por não ter perfil para o setor, executivo tem construtora com R$ 1,5 bilhão de VGV

Nestlé quer brigar com a sua cafeteria preferida — e vai investir R$ 300 milhões no Brasil para isso

Após captar R$ 90 milhões, Isa adquire a Saúde C para acelerar oferta de serviços hospitalares