Gol encosta na TAM em participação de mercado

Empresa atingiu uma fatia de 37,25% do mercado doméstico

São Paulo - A Gol elevou em 17% as vendas de passagens para voos nacionais no primeiro mês do ano e encostou na líder TAM em participação de mercado, segundo dados divulgados ontem (21) pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A empresa atingiu uma fatia de 37,25% do mercado doméstico, menos de 1 ponto porcentual do que detém a TAM, responsável por 38,13% do tráfego aéreo nacional. Há um ano, a diferença entre as duas empresas era acima de 8 pontos porcentuais.

A Gol retoma o crescimento após um período de ajustes na malha, iniciado em meados de 2012. A empresa fez um "pente fino" na sua malha, cortando voos deficitários e colocando seus aviões em rotas mais rentáveis, focadas principalmente no passageiro corporativo.

A estratégia foi desenhada para a empresa elevar a rentabilidade e superar as perdas de R$ 2,2 bilhões acumuladas de janeiro de 2012 a setembro de 2013.

Com esse novo foco, a empresa voltou a ampliar a sua oferta. Em janeiro, a companhia colocou à venda 10% mais passagens do que no mesmo mês do ano passado, segundo a Anac. Como as vendas subiram 17% no período, a ocupação do avião aumentou de 73,5% para 78%. O resultado disso foi uma ampliação na participação de mercado de 34% para 37%. "A Gol volta a crescer depois de ter melhorado sua malha, priorizando voos mais rentáveis", disse o professor de transporte aéreo da USP Jorge Leal Medeiros.

O manutenção de uma política de preços um pouco abaixo da concorrência e o foco no cliente corporativo, menos sensível a reajuste de tarifas, justificam o avanço da Gol, afirma o analista do BB Investimentos, Mário Bernardes Junior. "As empresas também querem economizar com despesas com passagens", avalia.

Procurada, a Gol não deu entrevista, por estar em período de silêncio até 26 de março.

No mesmo período, a líder TAM cortou sua oferta em voos nacionais em 3,46% em janeiro, na comparação com mesmo mês de 2013, o que derrubou a demanda quase na mesma proporção. Com isso, perdeu mercado - sua fatia caiu de 42,57% para 38,13% em um ano.

Os cortes também foram feitos nos voos internacionais - a TAM ofereceu 8,7% menos passagens em janeiro deste ano. Em comunicado, a empresa ressaltou que "segue em seu processo de melhoria da eficiência operacional, com taxas de ocupação acima da média da indústria e com geração de receitas substancialmente melhor."

Apesar do corte na oferta, a ocupação dos aviões da empresa caiu levemente em janeiro deste ano - de 83,8% para 83,64%-, mas ficou acima da média do mercado, de 80,56%. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.