Negócios

Getninjas demite 20% do quadro de funcionários, incluindo parte da diretoria

No primeiro trimestre do ano, a empresa registrou prejuízo de R$ 2,1 milhões; o número é melhor que o resultado de 2021, mas traz desafios para o negócios

A decisão, segundo a empresa, é uma forma de a companhia responder ao cenário macroeconômico, com juros, em inflação em alta e crédito escasso (GetNinjas/Divulgação)

A decisão, segundo a empresa, é uma forma de a companhia responder ao cenário macroeconômico, com juros, em inflação em alta e crédito escasso (GetNinjas/Divulgação)

Marcos Bonfim
Marcos Bonfim

Repórter de Negócios

Publicado em 18 de maio de 2023 às 12h42.

Última atualização em 18 de maio de 2023 às 23h16.

A onda de demissões segue afetando as empresas de tecnologias brasileiras. Nos últimos dias, a Quanto dispensou de 85% do quadro de funcionários e a Getninjas acaba de demitir 20% do time, incluindo quatro profissionais que ocupavam cargos de diretoria na empresa.

A decisão, segundo a empresa, é uma forma de a companhia responder ao cenário macroeconômico, com juros, em inflação em alta e crédito escasso.

"A recente movimentação e reestruturação da companhia tem como objetivo adequar as despesas e preparar o negócio para o futuro, mantendo seu crescimento com sustentabilidade", afirma a empresa em comunicado à imprensa. No último balanço, o número total de funcionários informado era de 194.

Qual a situação da empresa

O balanço do primeiro trimestre do ano mostrou um faturamento de 15,8 milhões, alta de 1% em relação aos três primeiros meses do ano passado. O resultado trouxe também que a empresa diminuiu o prejuízo em relação ao exercício anterior, de 3,7 milhões em em 2021 para 2,1 milhões no início deste ano.

A melhora nas contas veio como efeito da redução dos custos, em marketing, por exemplo, área em que cortou 25% dos investimentos, após reduções de 80% em 2020. E ainda o que a empresa chama de despesas comerciais.

Em entrevista à EXAME no início do mês, Eduardo L'Hotellier,  fundador e CEO da Getninjas, afirmou que o ritmo de corte de despesas deve seguir o mesmo como uma estratégia para enfrentar um ano ainda adverso para o modelo de negócio da companhia, com demanda fraca da classe média. "Será um ano de eficiência", disse. 

Apesar da melhorias operacionais, o executivo não quis projetar um cenário de quando a GetNinjas deve voltar ao azul.

Veja o posicionamento na íntegra da startup

"Diante do cenário desafiador vivido no mercado atual, a recente movimentação e reestruturação da companhia tem como objetivo adequar as despesas e preparar o negócio para o futuro, mantendo seu crescimento com sustentabilidade. Reiteramos ainda, que o corte de 20% do quadro não afeta o ritmo da companhia, a plataforma segue no seu devido funcionamento e que a saída de parte da diretoria faz parte do projeto de reestruturação da empresa.

O GetNinjas agradece o trabalho e dedicação de todos os colaboradores que foram desligados, e permaneceremos os apoiando para uma recolocação. Declaramos também que estenderemos por três meses os benefícios de saúde aos colaboradores impactados por esta movimentação."

Acompanhe tudo sobre:DemissõesStartupsJuros

Mais de Negócios

A malharia gaúcha que está produzindo 1.000 cobertores por semana — todos para doar

Com novas taxas nos EUA e na mira da União Europeia, montadoras chinesas apostam no Brasil

De funcionária fabril, ela construiu um império de US$ 7,1 bilhões com telas de celular para a Apple

Os motivos que levaram a Polishop a pedir recuperação judicial com dívidas de R$ 352 milhões

Mais na Exame