Negócios

Engevix vende participação em aeroportos de Brasília e Natal

O grupo informou que vendeu à Corporacíon América sua participação nos aeroportos


	Aeroporto de Brasília: valores da operação não foram informados
 (José Cruz/ABr)

Aeroporto de Brasília: valores da operação não foram informados (José Cruz/ABr)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de maio de 2015 às 17h56.

Rio de Janeiro - O Grupo Engevix informou nesta quarta-feira que vendeu à holding argentina Corporación América sua participação nos aeroportos de Brasília e Natal.

Como o contrato de venda ainda deve passar pela revisão e aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), os detalhes da transação estão sujeitas a cláusula de confidencialidade, informou a companhia em comunicado.

Engevix e Corporación América fazem parte do Consórcio Inframérica, que tem 100 por cento do aeroporto de Natal e 51 por cento de Brasília (neste, os restantes 49 por cento restantes são da Infraero).

Com uma proposta de 170 milhões de reais, o consórcio venceu em agosto de 2011 o leilão que concedeu ao grupo o direito de construir, manter e explorar o aeroporto de São Gonçalo do Amarante (Natal), no Rio Grande do Norte.

O mesmo grupo venceu o leilão para o aeroporto de Brasília, em fevereiro de 2012, com lance de 4,5 bilhões de reais.

A Engevix é uma das empresas citadas na Operação Lava Jato, que investiga denúncias de sobrepreço em contratos da Petrobras com grandes empreiteiras do país.

Os grupos Schahin, OAS, Galvão Engenharia e Alumini pediram recuperação judicial.

Dada a crise que se instalou nas áreas de óleo e gás e de construção civil, várias grandes empreiteiras estão tomando medidas drásticas para equacionar a situação financeira.

*Texto atualizado às 17h56

Acompanhe tudo sobre:Aeroporto de BrasíliaAeroportosAeroportos do BrasilBrasíliacidades-brasileirasCorporação AméricaEmpresasNatalSetor de transporteTransportestransportes-no-brasil

Mais de Negócios

Sentimentos em dados: como a IA pode ajudar a entender e atender clientes?

Como formar líderes orientados ao propósito

Em Nova York, um musical que já faturou R$ 1 bilhão é a chave para retomada da Broadway

Empreendedor produz 2,5 mil garrafas de vinho por ano na cidade

Mais na Exame