Negócios

Ele começou a empreender no Orkut e agora acaba de vender sua marca de açaí por R$ 5 milhões

Compradora é uma fazenda que produz o açaí e que, agora, quer entrar no varejo

Cayo Costa, da Açaí Puríssimo: empresa foi vendida a grupo dono de fazenda de 1.400 hectares de açaí que quer entrar no varejo (Açaí Puríssimo/Divulgação)

Cayo Costa, da Açaí Puríssimo: empresa foi vendida a grupo dono de fazenda de 1.400 hectares de açaí que quer entrar no varejo (Açaí Puríssimo/Divulgação)

Daniel Giussani
Daniel Giussani

Repórter de Negócios

Publicado em 3 de agosto de 2023 às 16h57.

O empresário Cayo Costa, do Distrito Federal, virou empreendedor no Orkut. Ele era administrador de uma comunidade sobre a Adidas na antiga rede social com mais de 165 mil membros. Por lá, ele trocava espaços de publicidade por suplementos alimentares. O que ganhava, vendia. E assim criou sua primeira loja de suplementos em Brasília, em 2012.

Por dois anos, Costa ficou apenas com sua loja de suplementos. Em 2014, o ponto que ficava ao lado da sua loja foi liberado. Foi quando o empreendedor apostou em seu segundo negócio: açaís.

“Por alguns anos, a marca de açaí tinha o mesmo nome da de suplemento”, diz Costa. “Mas em 2018 passei por uma reformulação do negócio. Quis deixar a operação escalável e com foco na saúde e na sustentabilidade. Foi assim que nasceu o Açaí Puríssimo”.

Cinco anos depois, a Açaí Puríssimo já atingiu um faturamento anual de 5,5 milhões de reais. Ela cresce pelo modelo de expansão por franquia. Agora, acaba de ser vendida. Quem a comprou foi a Açaí Amazonas, uma fazenda de 1.400 hectares no Pará que quer entrar no varejo.

A venda não envolveu transações financeiras. Ela consiste em um plano de investimento de 5 milhões de reais nos próximos dois anos. Costa continuará na operação, principalmente atuando com marketing. A marca, também.

O que significa a aquisição da Açaí Puríssimo

A Açaí Amazonas é uma indústria de açaí. Ela planta a fruta, a beneficia e a passa por uma industrialização para mandar a restaurantes e empresas. Tudo acontece em um complexo com duas fazendas que, somadas, têm 1.400 hectares em Óbidos, no Pará. Há uma parte da operação também em São Paulo.

Com a aquisição, a principal estratégia do Açaí Puríssimo é entrar também no varejo, com o diferencial que contará com uma fazenda própria.

“E isso traz muita vantagem, porque temos verticalização de toda cadeia”, afirma Costa. “Conseguimos garantir do plantio ao produto final. E além disso, mitigar questões como de trabalho infantil, porque estamos monitorando tudo”.

Quais os planos de investimento

A rede receberá nos próximos dois anos um investimento de 5 milhões de reais. Ele será usado para:

  • Lançamento de novos produtos
  • Marketing
  • Estruturação da franqueadora, para contratação de pessoas
  • Abertura de lojas próprias

Como funciona a fazenda de açaí

A Açaí Amazonas começou a funcionar em 2002, como um grupo de pesquisa e desenvolvimento para o plantio de açaí na região amazônica. Foram cinco anos pesquisando e testando questões ligadas ao reflorestamento e manejo do plantio.

Hoje, são 1.400 hectares de açaí irrigados, divididos em duas fazendas. Próxima das plantações está o complexo industrial que processa o fruto de maneira automatizada, com processo de despolpa contínuo, controle automático e envase.

O que era produzido, até então, era vendido a restaurantes e food services. Agora, será usado também para abastecer o Açaí Puríssimo.

Fazenda da Açaí Amazonas: espaço é formado por duas fazendas que, somadas, têm 1.400 hectares (Açaí Amazonas/Divulgação)

Como funciona a franquia do Açaí Puríssimo

A ideia da franquia do Açaí Puríssimo é ter uma operação enxuta. Por isso, ela opera com um funcionário que serve o produto e um token de autoatendimento para o pagamento.

O investimento para abrir uma franquia da empresa parte dos 150.000 reais. O tempo de retorno é de 18 a 24 meses, com um faturamento médio de 40.000 reais.

Entre os próximos passos, querem focar nas regiões em que já estão com uma unidade, para ter presença forte nesses Estados, como Santa Catarina e São Paulo.

Do Orkut ao Açaí

A empreitada de Costa no Orkut acontecia ao passo em que ele estudava administração na Universidade Federal de Brasília. Em sua comunidade na rede social circulavam cerca de 165 mil pessoas.

Foi então que ele começou a trocar espaços para marcas anunciarem por lá por suplementos alimentares. Vendia o que recebia, até criar a primeira loja, Pump Suplementos.

O açaí veio alguns anos depois, quando um ponto ao lado da Pump vagou. Em 2018, mudou de nome e apostou na questão sustentável. Foi assim que nasceu a Açaí Puríssimo.

Acompanhe tudo sobre:FranquiasFusões e AquisiçõesAlimentos

Mais de Negócios

Problemas complexos estão travando a sua empresa? Veja 5 dicas para gerenciá-los

Ele vendia trufas e hoje fatura R$ 80 milhões com a maior rede de pilates da América Latina

Ronaldo pode vender clube espanhol por um quarto do valor embolsado com o Cruzeiro

Mora no exterior e quer doar recurso ao RS? Agora é possível através destas instituições financeiras

Mais na Exame