Negócios

Disney nunca faturou tanto com seus parques — e vai investir US$ 60 bi para continuar assim

70% desse dinheiro será destinado a "novas experiências" em parques nacionais e internacionais, juntamente com linhas de cruzeiro

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 8 de abril de 2024 às 06h58.

Sob o comando de Josh D'Amaro, a divisão de parques, experiências e produtos de consumo da Disney agora ostenta o melhor desempenho do conglomerado. Isso tudo depois da pandemia, que fechou atrações e restringiu a presença do público por um longo período.

Em 2023, a divisão de D'Amaro, agora chamada de experiências, foram a parte de melhor desempenho dos negócios da Disney, representando 36% da receita total da empresa - 70% de sua receita operacional. Enquanto isso, a divisão de entretenimento da Disney, que inclui negócios teatrais e streaming, representou 45% da receita, mas apenas 11% da receita operacional.

Segundo informações da CNBC, a força da divisão é o motivo pelo qual a Disney se comprometeu a investir US$ 60 bilhões no setor nos próximos 10 anos - um planejamento fundamental na estratégia de manter os parques sempre atualizados.

D'Amaro disse que cerca de 70% desse dinheiro será destinado a "novas experiências" em parques nacionais e internacionais, juntamente com linhas de cruzeiro. Os outros 30% serão destinados à tecnologia e à infraestrutura, incluindo a manutenção das atrações existentes.

Nomeado pelo CEO Bob Chapek no início de 2020, D'Amaro passou grande parte de seu primeiro ano lidando com perdas operacionais substanciais, uma frota de navios de cruzeiro atracada e queda nas visitas a hotéis.

As receitas caíram 35% em 2020, uma redução de quase US$ 10 bilhões em relação aos US$ 26,2 bilhões que a divisão de experiências havia registrado no ano anterior à pandemia. Em seguida, a receita caiu mais 3% em 2021.

D'Amaro descreveu a pandemia como "uma oportunidade de tomar fôlego" e um momento para sua divisão "pensar sobre como queríamos que fosse o futuro".

Enquanto seus parques estavam fechados, a Disney seguiu continuou construindo uma nova atração dos Vingadores na Disneylândia e retocou clássicos como o Carrossel do Rei Arthur.

Em 2021, o World of Frozen foi inaugurado na Disneylândia de Hong Kong em novembro, e a área Zootopia foi inaugurada na Disneylândia de Xangai em dezembro. A empresa também lançou duas novas atrações no Walt Disney World, na Flórida: uma atração com o tema "Guardiões da Galáxia" no parque Epcot, em 2022, e uma montanha-russa com o tema "Tron" no Magic Kingdom, em abril de 2023.

Acompanhe tudo sobre:Disney

Mais de Negócios

Enchentes no RS: quais são as iniciativas já existentes para ajudar pequenos negócios gaúchos

Após lucro antes do esperado, fintech quer crescer cinco vezes e ver mais de R$ 1 bi em plataforma

Pagar contas com cartão de crédito: cinco dicas para usar com cuidado essa opção

Instituto Bazzar quer lançar luz sobre restaurantes sustentáveis que priorizam a gastronomia local

Mais na Exame