Canal BBC demitirá 382 funcionários do serviço internacional

Cortes têm como objetivo acelerar sua migração para o setor digital
O serviço internacional da BBC tem uma audiência estimada de 365 milhões de pessoas em todo mundo (CARL COURT/AFP/Getty Images)
O serviço internacional da BBC tem uma audiência estimada de 365 milhões de pessoas em todo mundo (CARL COURT/AFP/Getty Images)
A
AFP

Publicado em 29/09/2022 às 13:01.

Última atualização em 29/09/2022 às 17:14.

Envolvida nos últimos anos em um plano drástico de redução de custos, a BBC anunciou, nesta quinta-feira (29), sua intenção de cortar 382 postos em seu serviço internacional, com o objetivo de acelerar sua migração para o setor digital.

Este projeto significará o encerramento das emissões de rádio em árabe, persa e chinês, assim como o fim de alguns programas de televisão na África e na Ásia, informou em nota o grupo audiovisual público britânico, que se prepara para celebrar seu centenário.

“A evolução dos costumes do público no mundo, com um número crescente de pessoas que acessam informação por meio do instrumento digital, é acompanhada de um difícil clima financeiro”, justificou o grupo.

Os 382 postos do serviço internacional estão entre 1.000 vagas cortadas no grupo, sobre um total de 22 mil empregados. A economia estimada pelo corte é de 28,5 milhões de libras anuais (cerca de 167 milhões de reais). A meta é economizar, no total, 500 milhões de libras anuais (quase três bilhões de reais).

A BBC garantiu que nenhum de seus 41 serviços em língua estrangeira será encerrado completamente, embora quase metade deles esteja disponível apenas on-line. Alguns sairão de Londres, como a redação tailandesa, que seguirá para Bangcoc, e o noticiário africano de televisão, que será transferido para Nairóbi.

A BCC se encontra sob considerável pressão financeira, já que, além do envelhecimento de seu público, o governo conservador congelou o imposto audiovisual por dois anos. Isso criou um buraco em suas contas, especialmente com o atual nível de inflação.

Escolhas difíceis

Os programas de serviço internacional são particularmente importantes em países onde a liberdade de imprensa é limitada.

"Centenas de milhões de pessoas confiam na BBC para obter informações justas e imparciais, especialmente nos países onde esta prática não é comum", destacou Liliane Landor, diretora do BBC World Service, em nota.

"Existem argumentos convincentes a favor da expansão dos serviços digitais do serviço internacional, para prestar um melhor serviço a nosso público", acrescentou.

O contexto de dificuldade financeira se deteriorou nos últimos meses, com a disparadas dos preços, forçando a BBC a fazer "escolhas difíceis".

Para alcançar seu objetivo de economia global, o grupo anunciou também sua intenção de fundir seus canais de informações britânico e internacional.

Também deixará de transmitir continuamente alguns canais, como os infantis e os dedicados à cultura.

O serviço internacional da BBC tem uma audiência estimada de 365 milhões de pessoas em todo mundo.

Veja também: 

Como vender mais na Black Friday? Conheça 5 recomendações do Google

Com desaceleração no setor de tecnologia, SoftBank pode demitir 30% da equipe do Vision Fund