União bancária europeia deve começar com todos países

Segundo o ministro das Finanças da Espanha, Luis de Guindos, é importante que todos os países se comprometam em estabelecer a união bancária o mais rápido possível

Frankfurt - Um primeiro passo para a criação de uma autoridade para um mecanismo regulatório único dos bancos europeus pode ser uma rede de autoridades nacionais de resolução, disse o ministro das Finanças da Espanha, Luis de Guindos, em entrevista a uma revista alemã neste sábado (25).

Segundo o ministro, é importante que todos os países se comprometam em estabelecer a união bancária o mais rápido possível e "um primeiro passo poderia consistir na coordenação das autoridades nacionais de resolução com um claro compromisso para a próxima etapa, que é uma autoridade de resolução comum", disse Guindos à publicação WirtschaftsWoche.

Em um esforço para quebrar a ligação entre os bancos e o poder soberano dos países, a União Europeia decidiu estabelecer uma união bancária, composta por um sistema supervisor bancário comum, uma autoridade comum de resolução e um sistema de garantia de depósitos. O sistema bancário comum está previsto para iniciar as operações em meados de 2014.

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, argumentou, no início deste mês, que os tratados da União Europeia não são suficientes para ancorar uma autoridade regulatória forte e recomendou uma abordagem em duas fases, que também poderia começar com uma rede de autoridades nacionais.

Guindos também pediu um acordo político sobre o regime de depósitos, que está em discussão atualmente.

Em particular, ele disse que os Estados membros irão encontrar um compromisso para depósitos de mais de 100.000 euros para desfrutar de uma maior proteção, "mas apenas sob a condição da existência de um volume suficiente de outros instrumentos financeiros que podem ser usados para limpar os bancos". As informações são da Dow Jones.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.