Ucrânia chama enviado russo após tensão na Crimeia

Região continua sendo a única da Ucrânia onde a etnia russa é majoritária

Moscou - O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia citou o enviado russo em Kiev, nesta quinta-feira, e o chamou para consultas imediatas com Moscou depois da ocupação da sede do governo regional da Crimeia.

Em um comunicado escrito e entregue ao enviado Andrei Vorobyov, o ministério solicitou que militares russos baseados no porto de Sevastopol, na Crimeia, permaneçam na base.

A Rússia chamou o seu embaixador em Kiev para consultas em Moscou depois que o Parlamento destituiu o presidente Viktor Yanukovich de seus poderes no sábado.

Os homens armados na Crimeia levantaram a bandeira russa nos prédios do governo regional e do Parlamento, indicando que podem ser separatistas pró-Rússia.

A Crimeia foi presenteada à Ucrânia em 1954 pelo então líder soviético Nikita Khrushchev. A região continua sendo a única da Ucrânia onde a etnia russa é majoritária, e parte da frota russa do mar Negro fica estacionada no porto de Sevastopol, a capital regional.

Agora, a Crimeia é o último reduto importante de oposição à nova ordem política pós-Yanukovich, e os novos líderes do país manifestam preocupação com os sinais de separatismo na península.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.