Trump quer cancelar coletivas de imprensa após demissão de Comey

O presidente criticou a imprensa local após a controvérsia envolvendo a sequência de fatos que antecederam a demissão do diretor do FBI

São Paulo - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou a imprensa local após a controvérsia envolvendo a sequência de fatos que antecederam a demissão do diretor do FBI, James Comey, e sugeriu cancelar as coletivas de imprensa diária da Casa Branca "pelo bem da precisão".

Em seu perfil no Twitter, o republicano afirmou que, como um presidente "muito ativo e lidando com vários assuntos ao mesmo tempo", não é possível que meus subordinados saibam de "tudo o que acontece com total precisão".

"Talvez o melhor a fazer seria cancelar todas as coletivas futuras e entregar respostas por escrito, pelo bem da precisão?" escreveu Trump.

A controvérsia surgiu ontem após o presidente afirmar, em entrevista concedida ontem à NBC, que estava decidido a demitir Comey antes mesmo de receber o aconselhamento do Departamento de Justiça.

A afirmação contradiz o que foi dito na coletiva de quarta-feira, quando a vice-porta-voz Sarah Huckabee Sanders afirmou que a decisão foi tomada após reunião entre o secretário de Justiça, Jeff Sessions.

Ele teria expressado a Trump preocupações sobre o então diretor do FBI.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.