Tentativa de anexação da Crimeia é uma ameaça à paz, diz EUA

O porta-voz da Casa Branca disse que "tentativa de anexação" da Crimeia à Rússia é uma ameaça à paz

Washington - O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, disse nesta terça-feira que a comunidade internacional não reconhecerá jamais "a tentativa de anexação" da Crimeia à Rússia, que definiu como "uma ameaça à paz" internacional e "claramente ilegal".

Depois que as autoridades crimeanas e russas assinaram hoje um tratado de incorporação da península ucraniana à Federação Russa, Carney afirmou que as ações do governo russo são uma "clara violação da legislação internacional".

O porta-voz afirmou que os passos dados pelo governo do presidente russo, Vladimir Putin, terão consequências e que para defini-las o líder americano, Barack Obama, se reunirá na próxima semana com seus parceiros do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido).

A Casa Branca voltou a lembrar que o governo americano planeja novas sanções como represália pela ocupação militar e pela anexação russa da Crimeia, depois que anunciou nesta segunda-feira o congelamento de ativos de quatro líderes ucranianos (entre eles o ex-presidente Viktor Yanukovich) e de sete funcionários russos.

No entanto, Carney não detalhou o alcance das novas sanções previstas, nem quando poderiam ser anunciadas.

"As medidas tomadas contra 11 pessoas são parte de um processo que continuará pela persistente indisposição da Rússia de proceder de um modo consistente com a lei internacional", assegurou Carney, que repetiu em vários momentos que o "custo aumentará" para a Rússia por sua atitude.

Vladimir Putin e as autoridades crimeanas assinaram hoje um tratado de incorporação da península à Federação Russa, após a realização de um referendo no domingo que pedia a inclusão da Região Autônoma da Ucrânia, sede da frota russa do Mar Negro.

O porta-voz alertou sobre as consequências que o caminho adotado pelo Kremlin para anexar a Crimeia terá na Bolsa de Valores de Moscou e sobre o valor do rublo. "Se eu fosse vocês, não investiria em valores russos agora", aconselhou.

Carney lembrou ainda que os preparativos para a cúpula do Grupo dos Oito (G8), integrado pelos do G7 mais Rússia, que aconteceria em junho na cidade russa de Sochi, foram suspensos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.