Reconhecimento da Palestina não mudará estado de refugiados

A opinião é da ministra de Assuntos Sociais da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Majida Al-Masri

Beirute - O possível reconhecimento do Estado palestino pela ONU não mudará o estado dos refugiados nem resolverá seus problemas, afirmou a ministra de Assuntos Sociais da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Majida Al-Masri.

Em entrevista publicada nesta sexta-feira pelo jornal L'Orient-Le Jour, a ministra se mostrou pessimista sobre a melhoria das condições dos palestinos refugiados, enquanto espera que a Assembleia Geral da ONU vote no final do mês uma resolução a favor do Estado palestino.

"O problema dos refugiados não será resolvido com o reconhecimento do Estado palestino, mas já é um passo para o caminho que conduz ao estabelecimento de um Estado livre e soberano, de acordo com as fronteiras de 4 de junho de 1967", afirmou.

Majida participou em Beirute de um seminário organizado pela Comissão Econômica e Social para o Oeste Asiático (ESCWA, na sigla em inglês), da qual é conselheira regional.

A ministra acrescentou que o problema dos refugiados permanece, apesar de poderem se beneficiar do direito de retorno estipulado na resolução 194 do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Segundo a ONU, cerca de 400 mil refugiados palestinos vivem no Líbano, metade deles em condições muito precárias, em 12 acampamentos.

No total, o número de refugiados nos territórios ocupados no Líbano, Síria e Jordânia supera 4,8 milhões, o que representa 43,4% da população palestina que vive no mundo todo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.