Mundo

Proposta de Trump para isentar gorjetas de impostos pode custar R$ 1,2 trilhão aos EUA

Estudo alerta que o custo pode ser ainda maior, enquanto Trump busca atrair jovens e trabalhadores do setor de serviços

Donald Trump busca ações para atrair o público jovem nas eleições.

Donald Trump busca ações para atrair o público jovem nas eleições.

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 17 de junho de 2024 às 07h41.

A proposta de Donald Trump para isentar gorjetas de tributação pode aumentar o déficit orçamentário federal entre US$ 150 bilhões a US$ 250 bilhões (R$ 720 bilhões e R$ 1,2 trilhão) ao longo de 10 anos, conforme previsão do Comitê de Responsabilidade do Orçamento Federal (CRFB, em inglês), dos Estados Unidos.

A estimativa sugere que o impacto da proposta no déficit seria comparável e potencialmente maior do que a perda de receita projetada de US$ 172 bilhões (R$ 860 bilhões), com a extensão dos cortes de impostos de 2017 para pequenas empresas, que expiram no próximo ano.

A isenção fiscal para gorjetas é a tentativa mais recente de Trump de atrair eleitores jovens. O candidato à presidência anunciou a proposta em um comício de campanha em Nevada, estado crucial nas eleições presidenciais e que possui a maior proporção de trabalhadores de serviços alimentícios e hospedagem do país, setores onde os empregados dependem de gorjetas.

De acordo com a Bloomberg, o CRFB alertou que o custo poderia ser muito maior se empregadores e empregados mudassem a compensação geral de salários para gorjetas. Com um deslocamento de 10%, o custo poderia aumentar para US$ 275 bilhões (R$ 1,3 trilhão), e com uma duplicação das gorjetas compensadas por salários mais baixos, a perda de receita para o governo federal poderia chegar a US$ 500 bilhões (R$ 2,4 trilhões).

O elevado custo cria um obstáculo fiscal para a implementação da proposta de Trump. O presumível candidato presidencial republicano já propõe a extensão dos cortes de impostos individuais e sobre heranças instituídos em 2017, que o Escritório de Orçamento do Congresso (CBO) projeta que custariam US$ 4,6 trilhões (R$ 23 trilhões) ao longo de 10 anos.

Redução de impostos

Na quinta-feira (13), Trump sugeriu a executivos de negócios a ideia de reduzir a taxa de imposto corporativo de 21% para 20%. Ele também afirmou aos republicanos da Câmara que gostaria de compensar as perdas de receita decorrentes dos cortes de impostos aumentando as tarifas sobre bens importados.

Os republicanos estão divididos sobre se tais cortes de impostos devem ser compensados por cortes de gastos ou outras fontes de receita. Os cortes de impostos de 2017 não foram totalmente pagos, e o CBO estima que adicionaram US$ 1,5 trilhão (R$ 7,5 trilhões) aos déficits orçamentários.

Existe uma expectativa de um intenso debate no próximo ano, conforme mencionado pelo presidente do Comitê de Orçamento da Câmara, Jodey Arrington. Com o tamanho da dívida e o nível das taxas de juros, os EUA estão em um ambiente muito diferente de 2017, tornando o debate sobre a viabilidade fiscal da proposta de Trump ainda mais relevante.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Eleições EUA 2024Donald Trump

Mais de Mundo

Diretora do Serviço Secreto renuncia ao cargo depois de atentado contra Trump

Singapura é a cidade mais segura para turistas; veja o ranking

A menos de uma semana das eleições, crise econômica da Venezuela é vista no interior do país

Israel, Ucrânia e Palestina vão participar das Olimpíadas de Paris?

Mais na Exame