A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Premiê britânico promete de corte de impostos

Cameron espera que compromisso ajude a redirecionar debate para longe das preocupações sobre a Europa dentro de seu partido, e a conquistar milhões de eleitores

Birmingham - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, prometeu pressionar por cortes de impostos caso seja reeleito no ano que vem, um compromisso que ele espera que ajude a redirecionar o debate para longe das preocupações sobre a Europa dentro de seu partido, e a conquistar milhões de eleitores.

Falando no congresso de seu partido, o Conservador, o último antes da eleição nacional em maio do ano que vem, Cameron disse querer garantir a maioria para que a legenda possa governar sozinha, e não em coalizão, como é o caso agora.

Ele prometeu tirar 1 milhão de trabalhadores de esquemas tributários caso reeleito, permitindo que ganhem mais dinheiro antes de pagarem imposto de renda.

Ele também prometeu aliviar o fardo sobre a classe média alterando a faixa de incidência do imposto de renda. “Eu quero adotar medidas que há tempo já deveriam ter sido tomadas e trazer de volta alguma justiça aos impostos”, disse Cameron a delegados partidários. “Com os Conservadores, se você trabalhar duro e fizer a coisa certa, dizemos que você deve ficar com mais de seu próprio dinheiro e gastá-lo como preferir."

O custo total de implementar os cortes tributários será de 7,2 bilhões de libras (11,65 bilhões de dólares) por ano até abril de 2020, disseram assessores de Cameron. A promessa do premiê foi uma aposta calculada para tentar atrair eleitores e mudar a estratégia, que estava focada no dano feito pelo Partido Independência (Ukip), de orientação anti-União Europeia, às suas chances de reeleição.

Horas antes do discurso de Cameron, Arron Banks, empresário cujos registros eleitorais mostram ter doado milhares de libras para o partido de Cameron, disse que vai passar a apoiar o Ukip.

Sua escolha seguiu a de dois legisladores Conservadores que também mudaram para o Ukip, partido que busca a saída imediata da Grã-Bretanha da UE e grandes medidas contra a imigração, e que tem levantado temores no partido de Cameron de que possa dividir os votos de centro-direita e permitir que o partido de oposição, o Trabalhista, a vença as eleições.

Cameron prometeu renegociar as relações britânicas com a UE caso reeleito, antes de realizar um referendo sobre a permanência do país no bloco em 2017, mas tem sido arredio em explicar o que quer mudar - tornando alguns Conservadores céticos sobre sua determinação.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também