Ponte de Gênova é demolida em explosão, 10 meses após colapso; veja vídeo

Em sete segundos, 4.500 toneladas de concreto e aço dos dois pilares desapareceram numa enorme nuvem de poeira
Itália: o colapso da ponte de Gênova causou 43 mortes (Pier Marco Tacca/Getty Images)
Itália: o colapso da ponte de Gênova causou 43 mortes (Pier Marco Tacca/Getty Images)
A
AFP

Publicado em 28/06/2019 às 15:30.

Última atualização em 28/06/2019 às 15:33.

Os dois principais pilares do que restou da ponte de Gênova, no norte da Itália, cujo colapso causou 43 mortes em agosto de 2018, foram demolidos com explosivos nesta sexta-feira para permitir a reconstrução de uma nova infraestrutura.

A detonação dos explosivos ocorreu às 09H37 (04h37 de Brasília) e as 4.500 toneladas de concreto e aço dos dois pilares desapareceram numa enorme nuvem de poeira em sete segundos.

Para a demolição, quase 4.000 moradores tiveram que ser evacuados, embora os habitantes que viviam diretamente sob a ponte deixaram suas casas desde o dia da tragédia.

Cerca de 400 membros das forças de segurança foram mobilizados para evitar possíveis saques na área evacuada, para onde os moradores poderão retornar hoje à noite.

Tanques de água e canhões de irrigação foram instalados para estabelecer uma parede de água, a fim de evitar a dispersão de poeira fina na cidade.

Os dois vice-primeiros-ministros italianos, Matteo Salvini (La Liga, extrema-direita) e Luigi Di Maio (Movimento 5 Estrelas, antissistema), estiveram presentes no local.

Após o acidente no ano passado, os dois líderes passaram vários dias em Gênova, competindo em demonstração de indignação.

A demolição da ponte começou em fevereiro, com o desmantelamento das diferentes frações entre os pilares menores.