A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Líder norte-coreano reaparece em público usando bengala

Kim Jong-un reapareceu em público usando uma bengala, após uma inexplicada ausência de quase seis semanas

Seul - O líder norte-coreano, Kim Jong-un, reapareceu em público usando uma bengala, após uma inexplicada ausência de quase seis semanas que provocou rumores sobre seu estado de saúde ou um possível golpe de Estado.

O dirigente fez uma visita de inspeção de um conjunto residencial recém-construído em Pyongyang, informou nesta terça-feira a agência oficial norte-coreana KCNA.

Esta é a primeira menção de uma aparição pública do dirigente norte-coreano desde o dia 3 de setembro, quando assistiu a um concerto na capital ao lado da esposa.

A ausência de Kim no último aniversário do partido no poder deflagrou uma série de especulações.

Segundo a KCNA, Kim Jong-un realizou uma visita de supervisão a um novo conjunto residencial construído especialmente em Pyongyong para cientistas que trabalham no programa de satélites da Coreia do Norte.

"Após inspecionar o exterior dos prédios, Kim expressou sua profunda satisfação e declarou que as construções são magníficas", afirmou a agência.

A foto de um sorridente Kim Jong-un ocupava nesta terça-feira quase toda a primeira página do "Rodong Sinmun", o jornal do partido.

Outras imagens menores mostravam o dirigente fazendo a visita com uma bengala preta.

Imagens recentes exibidas na televisão já haviam mostrado o líder norte-coreano mancando.

A KCNA não precisou a data da visita, mas a agência divulga este tipo de evento geralmente um dia após o ocorrido.

A breve nota não menciona a ausência pública de Kim, que tem 30 ou 31 anos, e tampouco faz qualquer comentário sobre sua saúde.

Esta não foi a primeira vez que um dirigente da República Popular Democrática da Coreia (RPDC), nome oficial da Coreia do Norte, não apareceu em público durante várias semanas. Mas a ausência de Kim Jong-un chamou a atenção porque ele foi onipresente nos meios de comunicação oficiais desde que assumiu o poder.

As hipóteses citadas foram diversas. Alguns mencionaram problemas de saúde do dirigente norte-coreano, um fumante inveterado e que ganhou muito peso no último ano: cansaço, gota, fratura do tornozelos, diabetes.

Outros falaram de golpe de Estado

Os rumores sobre a saúde de Kim Jong-Un cresceram na sexta-feira passada, após sua ausência entre as personalidades do regime que visitaram, como acontece todos os anos, o mausoléu de Pyongyang. Lá, estão os corpos de seu pai e de seu avô, seus antecessores na liderança do país.

A homenagem aos finados líderes Kim Jong-Il e Kim Il-Sung, no mausoléu do Palácio Kumsusan, ocorreu por ocasião do 69º aniversário da fundação do partido que governa o país.

Mas o governo de Seul afirmou que o serviço secreto considerava que Kim Jong-un permanecia firme no comando do país.

Durante a visita ao complexo residencial, o dirigente norte-coreano estava acompanhado por altos funcionários do regime, incluindo Hwang Pyong-so, vice-presidente da Comissão de Defesa e considerado o número dois do país.

"Continuamos sem saber se se recuperou de sua aparente 'indisposição' e qual era a gravidade", afirmou Kim Yeon-chul, analista especializado na Coreia do Norte da universidade sul-coreana de Inje.

"O importante é que isto corrobora as observações da Coreia do Sul, China e Estados Unidos no sentido de que Kim Jong-un dirige o país com normalidade", completou.

Uma delegação norte-coreana de alto nível liderada por Hwang Pyong-so fez uma visita surpresa à Coreia do Sul no dia 1º de outubro.

A visita excepcional, que resultou em um acordo para o reinício do diálogo de alto nível, foi interpretado por alguns como uma mensagem de normalidade em Pyongyang.

A delegação afirmou ao governo de Seul que Kim Jong-un não tinha problemas de saúde.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também