Kanye West anuncia que vai concorrer à presidência dos EUA contra Trump

West, casado com a celebridade digital Kim Kardashian, apoiou Trump em 2016, mas recentemente participou de protestos contra a violência policial
Kanye West: Essa não foi a primeira vez que o bilionário menciona concorrer para a presidência americana (Danny Moloshok/File Photo/Reuters)
Kanye West: Essa não foi a primeira vez que o bilionário menciona concorrer para a presidência americana (Danny Moloshok/File Photo/Reuters)
L
Lucas Amorim

Publicado em 05/07/2020 às 09:21.

Última atualização em 05/07/2020 às 13:51.

O bilionário rapper e produtor Kanye West anunciou na noite deste sábado que vai concorrer à presidência dos Estados Unidos. Ele usou o Twitter, a plataforma preferida do atual ocupante da Casa Branca, Donald Trump, para anunciar a empreitada. E escolheu uma data para lá de simbólica: o 4 de Julho, feriado da independência do país.

"Devemos agora realizar a promessa de uma América crente em Deus, unificando nossa visão e construindo nosso futuro. Vou concorrer a presidente dos Estados Unidos. #VISÃO2020".

A candidatura foi rapidamente compartilhada por pesos pesados como a esposa de West, a celebridade digital Kim Kardashian, e o empresário Elon Musk, dono da montadora Tesla.

Não é a primeira vez que West menciona concorrer para a presidência. Em novembro, ele chegou a dizer durante um evento "quando eu concorrer para a presidência em 2024". Antes, em 2015, ele disse durante um evento da MTV que pretendia concluir para a presidência em 2015. A revista New Yorker republicou ontem em suas redes sociais uma premonitória capa de 2015 que mencionava uma disputa entre Trump e West. Logo, a dúvida sobre se agora é para valer está no ar.

Outra dúvida no ar é a posição política de West, uma vez que ele apoiou a candidatura de Donald Trump, mas retirou seu apoio com o tempo. Ele chegou a usar o famoso chapéu com os dizeres Make America Great Again, e visitou Trump no Salão Oval. Em 2018, ele marcou a separação com um tweet?: "meu olhos estão agora bem aberto e percebo que fui usado para espalhar mensagens nas quais não acredito. Estou me distanciando da política e completamente focado em ser criativo".

Nas últimas semanas, ele apoiou publicamente e participou de um protesto contra a violência policial contra negros em Chicago e doou 2 milhões de dólares para as famílias de vítimas como George Floyd. No início desta semana, o artista lançou "Wash Us in the Blood", em parceria com Travis Scott. O clipe contém diversos trechos de registros reais da violência policial contra a população negra dos EUA.

A revista Forbes ressalta que West já teria um segundo semestre atribulado de qualquer forma após assinar um acordo de estimados 100 milhões de dólares com a varejista GAP, e está produzindo um novo álbum.

West tem 43 anos. Se levar a candidatura adiante, enfrentará dois veteranos: o republicano Donald Trump tem 74 anos e o democrata Joe Biden, 77. As últimas pesquisas mostraram Biden 10 pontos à frente de Trump, pressionado pelos péssimos resultados do país no combate à pandemia do novo coronavírus.