EUA voltam a tramitar vistos após resolver falha técnica

O problema foi detectado em 9 de junho e teve sua origem em "uma falha nos equipamentos de informática"

	No Brasil, a embaixada americana disse que qualquer visto solicitado depois de 8 de junho demorará mais do que o normal
 (AFP)
No Brasil, a embaixada americana disse que qualquer visto solicitado depois de 8 de junho demorará mais do que o normal (AFP)
D
Da RedaçãoPublicado em 24/06/2015 às 06:44.

Washington - O Departamento de Estado dos EUA afirmou nesta terça-feira que solucionou o problema informático que tinha impedido a emissão de vistos nas duas últimas semanas, mas advertiu que levará ainda "algum tempo" para normalizar a situação devido à grande quantidade de solicitações acumuladas, informou o porta-voz John Kirby.

"Parece que as coisas estão funcionando. Há um grande quantidade de solicitações pendentes. Não quero ser ingênuo. Vai levar um tempo para normalizar os pedidos", explicou Kirby em sua entrevista coletiva diária.

De acordo com o porta-voz americano, esta segunda-feira foram emitidos perto de 45 mil vistos, número perto dos 50 mil que o Departamento de Estado tramita por dia no mundo todo.

Só em Pequim, o consulado que mais analisa vistos do mundo, ontem foram emitido 15 mil.

Mas Kirby não quis informar o número de solicitações pendentes acumuladas em consequência do problema.

O problema foi detectado em 9 de junho e teve sua origem em "uma falha nos equipamentos de informática", que impediu o Departamento de Estado de "processar e transmitir as provas de segurança obrigatórias com os dados biométricos nas embaixadas e consulados".

O jornal "Wall Street Journal" indicou na semana passada que o problema está atrasando a concessão de milhares de vistos para trabalhadores durante esta temporada agrícola, e muitos deles estão parados esperando na fronteira entre o México e os Estados Unidos.

Só na Califórnia, as perdas diárias por esse problema são avaliadas entre US$ 500 mil e US$ 1 milhão, mas o problema afeta uma vasta região agrícola do oeste, do centro e do sul dos Estados Unidos, segundo o jornal nova-iorquino.

O problema também afetou a concessão de vistos de turistas. No Brasil, por exemplo, a embaixada americana disse que qualquer visto solicitado depois de 8 de junho demorará mais do que o normal.