Mundo

Em crise na aviação civil, Boeing manda astronautas ao espaço, que ficam presos em estação espacial

Este é o primeiro caso em que a Boeing envia uma nave espacial tripulada na tentativa de entrar no ramo comercial de transporte espacial com humanos

Boeing também não informou uma nova data prevista para o retorno dos astronautas (Satellite image ©2024 Maxar Technologies/AFP)

Boeing também não informou uma nova data prevista para o retorno dos astronautas (Satellite image ©2024 Maxar Technologies/AFP)

Publicado em 25 de junho de 2024 às 07h50.

O retorno de dois astronautas a bordo da primeira espaçonave comercial tripulada da Boeing foi adiado – novamente. As informações são do Business Insider.

Os astronautas da NASA, Butch Wilmore e Suni Williams, foram à Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês) em 6 de junho após uma série de atrasos que adiaram o lançamento da nave em um mês. Eles deveriam permanecer no espaço por oito a 10 dias, de acordo com um comunicado da Boeing de 6 de junho.

Mas 12 dias após a chegada da tripulação à ISS, a Boeing anunciou que seu retorno ao White Sands Space Harbor, no Novo México, foi adiado para 26 de junho.

Na sexta-feira, a empresa de aviação disse que o retorno foi adiado novamente para avaliar problemas a bordo e dar tempo para duas caminhadas espaciais. O atraso ocorre depois que cinco vazamentos de hélio foram detectados a bordo da espaçonave. 

“Os gerentes da missão estão avaliando futuras oportunidades de retorno após as duas caminhadas espaciais planejadas da estação na segunda-feira, 24 de junho, e na terça-feira, 2 de julho”, disse a Boeing em seu comunicado. A Boeing também não informou uma nova data prevista para o retorno dos astronautas.

No entanto, o comunicado dizia que a tripulação “não estava com pressa para deixar a estação”, pois havia “muitos suprimentos em órbita”.

Turbulência na Boeing

Este é o primeiro caso em que a Boeing envia uma nave espacial tripulada na tentativa de entrar no ramo comercial de transporte espacial com humanos. Mas a empresa agora está atrás da SpaceX de Elon Musk, que envia astronautas ao espaço desde 2020.

Boeing e SpaceX foram as duas empresas americanas selecionadas pela NASA em 2014 para explorar o transporte espacial comercial.

Antes do lançamento do Starliner, Musk disse no X que a Boeing estava sobrecarregada por “muitos gerentes não técnicos”.

De volta à Terra, a Boeing também foi atormentada por problemas com aviões nos últimos meses. Em janeiro, um tampão de porta de um jato Boeing 737 Max 9 Alaska Airlines se soltou em pleno voo, resultando em um buraco no avião.

Desde então, vários denúncias começaram a vazar alegando vem economizando no controle de qualidade.

Acompanhe tudo sobre:BoeingEspaçoSpaceX

Mais de Mundo

Biden chama Zelensky de 'Putin' em discurso na Otan

Biden crava que não vai desistir das eleições nos EUA; veja coletiva

Milei cita cantor Roberto Carlos e o personagem Zorro em discurso na Argentina

Casa Branca adverte que Putin não poderá "sobreviver" à guerra após acordos da Otan

Mais na Exame