Mundo
Acompanhe:

Deve ser criado grupo especial para investigar "arapongas"

A Câmara Legislativa criou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar escutas ilegais no fim do mês passado

Agnelo Queiroz, deve assinar ainda hoje (9) um decreto criando um grupo especial para investigar escutas ilegais feitas por “arapongas” no DF (Elza Fiúza/Abr)

Agnelo Queiroz, deve assinar ainda hoje (9) um decreto criando um grupo especial para investigar escutas ilegais feitas por “arapongas” no DF (Elza Fiúza/Abr)

R
Roberta Lopes

9 de maio de 2012, 16h48

Brasília - O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, deve assinar ainda hoje (9) um decreto criando um grupo especial para investigar escutas ilegais feitas por “arapongas” no DF. Segundo o porta-voz do Governo do DF (GDF), Ugo Braga, esse grupo deverá será coordenado pelo diretor da Polícia Civil do DF, delegado Jorge Luiz Xavier, e deverá contar com quatro delegados da polícia civil.

Ontem (8), o líder do PT na Câmara Legislativa, deputado Chico Vigilante, havia feito o anúncio de que esse grupo seria criado.

A Câmara Legislativa criou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar escutas ilegais no fim do mês passado. No início dessa semana os nomes para compor a comissão foram indicados. Os cinco titulares da comissão são Chico Vigilante (PT), Luzia de Paula (PPS), Celina Leão (PSD), Siqueira Campos (PSC) e Cristiano Araújo (PTB), que terão agora que decidir quem será o relator e o presidente da Comissão e 180 dias para concluir os trabalhos.