Cinco milhões de chineses sofrem cortes de energia por onda de calor

Onda de calor disparou o consumo de eletricidade e prejudicou seu fornecimento
As temperaturas na província de Sichuan ficaram acima dos 40ºC nos últimos dias (Anadolu Agency/Getty Images)
As temperaturas na província de Sichuan ficaram acima dos 40ºC nos últimos dias (Anadolu Agency/Getty Images)
A
AFPPublicado em 17/08/2022 às 11:43.

Mais de cinco milhões de pessoas no sudoeste da China têm sofrido com recorrentes cortes de energia devido a uma onda de calor que disparou o consumo de eletricidade e prejudicou seu fornecimento, forçando, inclusive, a paralisação der algumas fábricas.

As temperaturas na província de Sichuan ficaram acima dos 40ºC nos últimos dias, provocando um aumento da demanda de energia para aparelhos de ar-condicionado.

Ao mesmo tempo, a região depende fortemente de barragens para gerar energia hidráulica, mas a onda de calor secou os reservatórios e acentuou a escassez de eletricidade.

Uma empresa de energia local disse que Dazhou, uma cidade de 5,4 milhões de pessoas no nordeste da província, recebia energia intermitente nesta quarta-feira, segundo o jornal online The Paper, com sede em Xangai.

Por conta disso, os moradores sofrem cortes de eletricidade de até três horas que se estenderão, se necessário, acrescentou o jornal, citando a Dazhou Electric Power Group.

"A carga nas linhas é muito alta" e afeta tanto as áreas urbanas quanto as cidades e vilarejos ao redor de Dazhou, informou o The Paper.

Várias fábricas em Sichuan foram obrigadas a interromper suas atividades depois que as autoridades ordenaram priorizar o fornecimento de energia para as áreas residenciais.

Entre as fábricas afetadas está uma empresa conjunta da Toyota com uma empresa local na capital provincial Chengdu, que interrompeu sua atividade na segunda-feira, indicou uma porta-voz à AFP.

A mídia local aponta que o maior fabricante de baterias para carros elétricos, Contemporary Amperex Technology, também interrompeu sua produção na cidade de Yibin.

Sichuan concentra metade da produção chinesa de lítio, um material necessário para as baterias de carros elétricos.

A região também tem inúmeras usinas hidrelétricas que abastecem as importantes zonas industriais da costa oriental da China.

Um aviso publicado no fim de semana ordenou paralisar a atividade industrial em 19 das 21 cidades da província.

Múltiplas cidades chinesas registraram este ano as temperaturas mais altas de sua história.

Nesta quarta-feira, o observatório de meteorologia nacional prolongou seu alerta vermelho por altas temperaturas, o mais alto em uma escala de quatro níveis.

Os cientistas afirmam que esses fenômenos meteorológicos extremos são mais frequentes e intensos ao redor do mundo devido às mudanças climáticas.

Veja também: 

Enviado da ONU cita trabalhos forçados e possíveis casos de "escravidão" na China

China vai participar de exercícios militares conjuntos na Rússia