Câmara dos Comuns aprova lei para forçar May a pedir adiamento do Brexit

Projeto, que busca evitar saída da UE sem acordo, foi aprovado por apenas um voto, 313 a 312; texto será avaliado pela Câmara dos Lordes

Londres – A Câmara dos Comuns do Reino Unido aprovou nesta quarta-feira uma lei que obriga o governo de Theresa May a pedir uma extensão do prazo de saída do país da União Europeia (UE), evitando assim um Brexit sem acordo com o bloco.

O projeto, proposto em conjunto pela parlamentar trabalhista Yvette Cooper e pelo conservador Oliver Letwin, foi aprovado por apenas um voto – 313 a 312. O texto agora será avaliado pela Câmara dos Lordes.

A lei tem como objetivo forçar o governo a pedir à UE uma prorrogação do prazo do Brexit antes que o Reino Unido seja obrigado a concretizar o divórcio no próximo dia 12 de abril, data marcada pelo bloco europeu para que o país aprovasse o acordo de saída.

Os deputados responsáveis pelo projeto decidiram colocá-lo em votação na Câmara dos Comuns apesar de May ter anunciado ontem que queria pedir um novo prazo de saída para os países-membros da UE.

“Na minha opinião, não há nenhuma dúvida de que o governo tem a intenção de solicitar uma prorrogação e evitar o precipício de um Brexit sem acordo”, afirmou Letwin.

“No entanto, isso deve ser feito através de um procedimento legal, transparente e ordenado, no qual o parlamento tenha a oportunidade de considerar o período de adiamento que será solicitado”, completou o deputado conservador.

O texto foi votado em regime de tramitação urgente, dispensando um processo que costuma demorar semanas na Câmara dos Comuns.

Agora, a Câmara dos Lordes deverá se pronunciar sobre o projeto de lei, algo que deve ocorrer até o próximo dia 10 de abril, quando os líderes dos países-membros da UE realizarão uma cúpula extraordinária sobre a situação do Brexit.

A saída do Reino Unido do bloco só será adiada outra vez com a concordância de todos os 27 países restantes do bloco.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.