Bombardeios das forças sírias deixam 8.684 civis mortos

Os ataques aéreos também causaram a morte de pelo menos 4.771 combatentes de brigadas rebeldes sírias, da Frente al Nusra e do EI

Beirute - Pelo menos 8.684 civis morreram, dos quais 1.847 eram menores de idade, nos últimos 20 meses na Síria em bombardeios de aviões e helicópteros do regime de Bashar al Assad, informou nesta segunda-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Além das baixas civis, os ataques aéreos causaram a morte de pelo menos 4.771 combatentes de brigadas rebeldes sírias, da Frente al Nusra, grupo sírio vinculado à Al Qaeda, e da organização terrorista Estado Islâmico (EI), entre outros.

Desse total de milicianos mortos, pelo menos 2.414 eram integrantes do EI.

O OSDH vem contando os bombardeios em território sírio desde 20 de outubro de 2014, porque a partir desta data houve um aumento significativo desses ataques.

Desde então, o OSDH documentou um total de 58.146 bombardeios, dos quais 32.217 foram executados por helicópteros que lançaram barris de explosivos e 25.929 por aviões.

Os ataques aconteceram em 13 das 14 províncias da Síria.

A província que esteve a salvo de bombardeios foi a de Tartus, no litoral do Mar Mediterrâneo e reduto governamental.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.