Mundo

Após condenação de Trump, Kremlin acusa Casa Branca de Biden de eliminar adversários políticos

Manifestação da Presidência russa surgiu em comentário do porta-voz Dmitry Peskov a jornalistas

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 31 de maio de 2024 às 09h21.

A Presidência da Rússia acusou a Casa Branca, sob a gestão do presidente Joe Biden, de estar eliminando adversários políticos , após a condenação do ex-presidente americano Donald Trump, na quinta-feira, no caso de pagamento de suborno à ex-atriz pornô Stormy Daniels. A avaliação do Kremlin surgiu em uma declaração do principal porta-voz de Vladimir Putin, Dmitry Peskov.

"O fato de que uma eliminação de rivais político 'de facto', por todos os meios legais e ilegais possíveis, está acontecendo por lá é óbvio", disse Peskov em declaração a repórteres nesta sexta-feira.

Trump se tornou o primeiro ex-presidente americano a ser condenado criminalmente na História dos EUA, após um júri popular considerá-lo culpado em todas as 34 acusações das quais era alvo em um caso sobre falsificação de registros de negócios para encobrir um escândalo sexual que ameaçava prejudicar sua campanha presidencial em 2016.

A condenação do ex-presidente aconteceu a partir de um processo judicial que demorou meses até a conclusão do júri no Tribunal Criminal de Manhattan, em Nova York. Apenas as oitivas de testemunha duraram cinco semanas, e a decisão de condenar o presidente partiu de um júri de 12 pessoas, que deliberaram por dois dias após o encerramento de todos os ritos judiciais. A sentença será anunciada em 11 de julho.

Troca de acusações

A acusação russa emula uma crítica recorrente de Washington sobre Moscou: que o governo russo persegue e elimina adversários políticos de Putin. No caso mais recente, o líder oposicionista Alexei Navalny morreu em uma colônia penal na remota região de Yamalo-Nenets, no Ártico. Antes de ser preso, Navalny ficou internado em um hospital alemão, sob suspeita de envenenamento. No centro hospitalar, foram detectados traços do agente nervoso Novichok, utilizado contra outros dissidentes russos mortos em anos recentes.

Em uma escala menor, a defesa de Trump também acusou a Casa Branca de perseguição ao ex-presidente (sem utilizar o termo eliminação, mas falando em uma ação direcionada ao adversário político). Pouco após a condenação, o republicano culpou o governo Biden pelo resultado apresentado pelo júri.

"Todo o nosso país está sendo manipulado agora", acusou o magnata. "Isso foi feito pelo governo Biden para ferir ou prejudicar um oponente, um rival político. Eu acho que isso é apenas uma vergonha, nós vamos continuar lutando. Nós vamos lutar até o fim e vamos vencer, porque o nosso país está passando pelo inferno, nós não temos o mesmo país mais, nós temos uma bagunça polarizada".

Como os EUA não têm nenhuma legislação similar à lei da ficha limpa do Brasil, a condenação criminal, mesmo que transitada em julgado, não impede que Trump seja o candidato do Partido Republicano nas eleições de agosto. Minutos após ser divulgado o veredicto, Biden publicou uma mensagem na rede social X (antigo Twitter), afirmando que "só há uma maneira de manter Donald Trump fora do Salão Oval: nas urnas". (Com AFP)

Acompanhe tudo sobre:RússiaEstados Unidos (EUA)

Mais de Mundo

Candidato à presidência denuncia 'prisão arbitrária' de assistentes na Venezuela

Pequeno município no leste da China desenvolve indústria panificadora bilionária

Após escândalo com PwC na China, KPMG e EY assumem auditorias no país

Biden viaja a Los Angeles para evento de arrecadação de fundos com celebridades

Mais na Exame