Mundo

Após ameaça de Trump, nova caravana com 1,5 mil pessoas segue rumo aos EUA

A nova onda de imigrantes hondurenhos já cruzaram a fronteira e pretendem se reunir ao grupo que já está em território mexicano

Imigração: Trump já ameaçou suspender o novo Nafta, recentemente negociado com o México (Ueslei Marcelino/Reuters)

Imigração: Trump já ameaçou suspender o novo Nafta, recentemente negociado com o México (Ueslei Marcelino/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 24 de outubro de 2018 às 12h57.

Genebra - Se a caravana de 7 mil imigrantes que avança no México ameaça criar uma crise na fronteira com os EUA, uma segunda marcha chegou nesta terça-feira, 23, à Guatemala e deve agravar a situação. Cerca de 1.500 imigrantes hondurenhos cruzaram a fronteira e pretendem se reunir ao grupo que já está em território mexicano.

O presidente dos EUA, Donald Trump, que já ameaçou cortar a ajuda financeira a países da América Central e suspender o novo Nafta, recentemente negociado com o México, não tem conseguido impedir o avanço da marcha. Nesta terça, ele insistiu em dizer que, no meio da multidão, há várias pessoas "do Oriente Médio" que pretendem entrar nos EUA - embora não tenha apresentado evidências do fato.

Na terça, Trump se reuniu com James Mattis, secretário de Defesa dos EUA, e com Joseph Dunford, chefe do Estado-Maior Conjunto, para discutir as alternativas do governo americano, incluindo a militarização da fronteira. "Não entrarão", disse o presidente, que estimou o número da caravana em 10 mil imigrantes.

Os EUA estão cada vez mais preocupados com a situação na fronteira. Em setembro, patrulhas apreenderam 16,6 mil ilegais, 900 pessoas a mais do que em agosto e 12 mil a mais do que no mesmo período do ano passado - um recorde que já coloca a fronteira em nível de "crise", segundo fontes oficiais.

Também nesta terça-feira, o Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur) pediu aos governos americano, mexicano e de outros países da América Central para que garantam de forma urgente a segurança dos integrantes da caravana no México. A entidade também solicitou que essas pessoas possam pedir asilo, como estabelecido no direito internacional.

Morte

Um jovem que participava da caravana morreu na segunda-feira ao cair do caminhão em que fazia o trajeto entre as cidades de Tapachula e Huixtla, no México. Um funcionário da Anistia Internacional confirmou que o rapaz, de identidade e nacionalidade ainda desconhecidas, morreu em decorrência do incidente.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)GuatemalaHondurasImigraçãoMéxico

Mais de Mundo

1ª cápsula de suicídio assistido pode ser usada neste ano, na Suíça; saiba mais sobre o processo

Eleições nos EUA: por que escolha de vice de Trump foge do padrão

Vice de Trump aumenta preocupação na Ucrânia sobre futuro do apoio dos EUA

Argentina nega 'ressentimento' de Milei por comentários sobre o presidente na Cúpula do Mercosul

Mais na Exame